Como você enxerga sua carreira daqui a 3 anos? Que objetivos gostaria de concretizar até o ano seguinte? Essas e outras reflexões mostram que sua trajetória exige uma organização para que você não se perca pelo caminho. É preciso saber como definir metas e, assim, se empenhar para cumpri-las.

Mas como fazer esse planejamento de forma eficiente? Como estabelecer objetivos que possam realmente sair do papel? Pode até parecer uma tarefa trabalhosa criar esse mapa com planos de curto, médio e longo prazo. Porém, é só entender como estabelecer as metas de forma equilibrada e ter determinação para seguir todas as etapas.

Ficou interessado em traçar esse plano rumo ao seu sucesso profissional e desenvolvimento pessoal? Acompanhe o guia que preparamos com um passo a passo para você definir metas para sua vida de um jeito descomplicado. Boa leitura!

A importância da definição de metas

Todos nós precisamos saber que rumo seguir, seja para pequenas ações, como acordar em determinado horário e ir para o trabalho, seja para objetivos futuros — como a vontade de ter o próprio negócio, melhorar os resultados da empresa ou alcançar um cargo de liderança, por exemplo.

Muita gente reclama da rotina, mas, a não ser que você esteja de férias, é importante ter um cronograma para seguir todos os dias. Com isso, é possível gerenciar o tempo, organizar os compromissos e saber o que precisa ser feito em primeiro lugar.

Se isso vale para sua rotina diária, ganha mais valor ainda quando se trata de sua trajetória profissional. Lembra-se de quando você ainda estava na escola e já pensava na profissão que queria seguir?

Você tinha um plano para aquele momento da sua vida, que era entrar no ensino superior. Para isso, com certeza, você se empenhou nos estudos ou buscou meios de pagar as mensalidades para concretizar seu objetivo.

Dessa forma, é fundamental definir metas para ter um mapa a ser seguido e para que consiga acompanhar todo o dinamismo do mercado. Você deve pensar em sua posição atualmente e o que almeja para o futuro.

Estabelecer esse plano vai trazer motivação para que você alcance o que se propôs e, assim, realizar-se profissionalmente.

Definição de metas para sua equipe

Da mesma forma que você elabora seu plano de carreira com as metas a serem alcançadas para o seu sucesso pessoal, pode elaborar um plano junto com a sua equipe.

Quando os colaboradores têm um rumo a ser seguido — com metas prioritárias e estratégias de ação — entendem seu papel na organização, conseguem dar um significado maior ao trabalho e se sentem motivados para alcançar os objetivos.

Para quem é líder, trabalhar dessa maneira é importante para conseguir mensurar de forma clara os resultados — com os indicadores de desempenho — e para conhecer melhor os colaboradores e identificar os talentos da equipe.

A diferença entre objetivo e meta

Utilizamos de modo corriqueiro os termos “objetivo” e “meta” como sinônimos, no entanto, é preciso entender a diferença de significado entre eles. O objetivo compreende um conjunto de metas a serem cumpridas para sua realização. Portanto, objetivo é algo maior, em que é permitido sonhar alto.

Já as metas podem até ser ousadas, mas devem ser realistas, ou seja, ter um prazo e um plano de ação para o seu cumprimento.

Se seu objetivo é aumentar o faturamento da sua empresa, a meta deve estabelecer qual é a porcentagem desse aumento e em quanto tempo ele será alcançado — por exemplo, elevar em 20% o faturamento no ano seguinte.

Além disso, você precisa ter bem claro que estratégias vai utilizar para chegar nesse resultado. Alguns exemplos são:

  • lançamento de novos produtos/serviços;

  • contratação de pessoal;

  • mudança na forma de atendimento;

  • corte de gastos etc.

7 passos essenciais para definir metas

Quando se trata de como definir metas, não adianta deixar tudo no pensamento. Isso porque sua cabeça já se ocupa com muitos compromissos, então fica fácil esquecer o que você se propôs a cumprir.

Para que seu plano seja realmente eficiente, é necessário seguir os passos abaixo:

1. Coloque tudo no papel

Da mente para o papel ou para a tela do computador — para que você faça um acompanhamento constante e tenha um controle do que definiu, é essencial que você deixe o seu plano registrado e esquematizado, listando os objetivos, como:

  • empresa onde pretende trabalhar;

  • segmento de negócio em que quer empreender;

  • salário almejado;

  • instalação de uma filial em um mercado estratégico;

  • expansão dos produtos que seu negócio oferece;

  • posição que visa ocupar.

Observe que os objetivos são amplos e variados e, para serem alcançados, precisam ter metas (de curto, médio e longo prazo) delineadas e realistas. Por exemplo: você não vai triplicar seu salário em um ano, certo?

Algumas pessoas, além de registrar os objetivos, gostam também de avisar os amigos mais próximos sobre as metas traçadas para que tenham um maior comprometimento. Além disso, dessa forma há a possibilidade de compartilhar seu empenho e evolução.

2. Escolha metas importantes para você

Na hora de pensar em como definir metas, não adianta simplesmente fazer uma lista sem um significado maior para você. Estamos falando de ter um guia que vai nortear sua carreira, então é preciso que os itens elencados sejam de extrema relevância para sua vida.

Só assim você consegue arregaçar as mangas, readequar sua rotina e até mudar seus hábitos para correr atrás — nem que seja em busca de uma meta bastante desafiadora.

Claro que você deve elaborar um plano de ação racional para concretizar o que foi planejado. No entanto, é fundamental que você tenha uma forte conexão com o que está buscando para que se sinta motivado.

Além disso, aposto que o seu dia a dia já é bastante corrido para você perder tempo com metas que não tenham um valor maior para você ou para o seu negócio, certo?

Exercício de autoconhecimento

Para que você consiga estabelecer metas realmente importantes, é necessário fazer um exercício de autoconhecimento. Assim, você consegue avaliar suas características pessoais e profissionais e fazer planos condizentes com o seu perfil.

Procure entender quais são seus pontos fortes e fracos, como você se relaciona com sua equipe, como administra momentos de estresse etc. Dessa maneira, é possível elencar o que precisa ser aprimorado para o seu desenvolvimento pessoal e também profissional.

Você pode, por exemplo, estabelecer como meta a realização de um curso de pós-graduação — como um Master in Business Administration (MBA) — para se qualificar na área de gestão e alcançar cargos mais elevados.

É fundamental que você tenha clareza da necessidade de organizar esses pensamentos de forma racional para que estabeleça etapas para conquistá-los. É importante também que a realização dos objetivos não vá contra seus princípios e valores. Isso pode trazer consequências negativas, principalmente para a vida pessoal.

3. Utilize a metodologia SMART

Se você não consegue ter clareza em como definir metas, uma dica é utilizar a metodologia SMART. Trata-se de uma sigla para as palavras em inglês Specific, Measurable, Achievable, Realistic e Time-based — o que quer dizer: específico, mensurável, atingível, relevante e que tenha um prazo.

O método SMART pode ajudar justamente por direcionar seus planos para a realidade, ou seja, para a possibilidade de serem atingidos. Quer entender melhor como essa técnica funciona? Acompanhe a seguir como é fácil utilizar cada letra da sigla na hora de elaborar suas metas e ter eficiência nos resultados:

Specific (S)

Para que você consiga concretizar seu objetivo, precisa de metas específicas. Não adianta apenas pensar que quer ser bem-sucedido, pois isso é uma ideia muito vaga.

Parta para outro caminho, como “quero ser promovido em dois anos, gerenciar minha equipe e aumentar meu salário em 30%”. Para isso, por exemplo, você terá que se empenhar mais no dia a dia, fazer uma pós-graduação ou, ainda, finalizar o curso de inglês.

Viu só como ser específico torna o seu plano mais claro e com um rumo a ser seguido? Assim, você define exatamente o que quer com um passo a passo para tornar essa meta real e ter sucesso na carreira.

Measurable (M)

Além de específica, a meta precisa ser acompanhada de perto, ou seja, deve ser possível ter uma forma de medir o resultado. Nesse ponto, é importante estabelecer os números a serem alcançados. Por exemplo: “quero que a minha empresa cresça 10% em um ano”.

Dessa forma, você consegue estipular os resultados mensais esperados e direcionar projetos voltados para esse objetivo.

Achievable (A)

Quando vamos definir as metas, é fundamental pensar se elas podem ser atingidas. Planejar assumir o cargo de liderança após 3 meses da sua contratação como analista pode ser algo impensável, certo? Assim, é preciso distinguir metas e sonhos.

As metas devem ser alcançáveis e realistas até para que seu empenho tenha resultado. Assim, você não se frustra e não coloca todo o seu plano de carreira em risco. Desse modo, ao pensar em planos e objetivos, analise com cuidado todo o contexto e trace metas que tenham chance de dar certo.

Realistic (R)

Ao elaborar as metas, é essencial que elas tenham um significado maior e sejam relevantes para você e para outras pessoas — seja sua família ou sua equipe de trabalho, por exemplo. O plano deve estar alinhado aos seus valores e objetivos de vida para que você direcione seus esforços para conquistá-lo.

Não é proibido sonhar alto, mas você deve sempre procurar o equilíbrio com alvos realistas.

Time-based (T)

Por fim, a metodologia SMART define também que é importante que você estabeleça um prazo para cumprir o que foi traçado. Dessa forma, consegue se organizar para ir atrás de suas metas e não corre o risco de deixar para depois.

Nessa hora, vale ser razoável. Sendo assim, tempo apertado pode deixá-lo ansioso demais ou, pelo contrário, um prazo a perder de vista pode deixá-lo acomodado.

4. Defina prioridades

Quando pensamos no que queremos atingir ou como nos vemos daqui a 2 ou 5 anos, a lista pode ser bem grande, não é mesmo? Mas, mesmo que você pudesse largar todas as suas atividades para se dedicar somente ao cumprimento dessas metas, seria algo impossível.

Então, é melhor descartar algumas metas estabelecidas? Não! É preciso apenas definir as prioridades — aquelas que têm uma importância maior e mais urgência em serem alcançadas para que sejam colocadas no topo da sua lista.

Quando você alcança os planos mais urgentes — além de ficar motivado — pode até mesmo facilitar o cumprimento de outras metas com importância menor.

Mas saiba que não é porque você precisa estabelecer prioridades, que terá que se empenhar em somente uma meta por vez. A ideia é perseguir — de forma paralela — duas ou três metas que você listou, porém, sempre incluindo os planos mais urgentes.

Trabalhar com muitas metas ao mesmo tempo fará você se sentir sobrecarregado, além de desorganizar sua rotina. Sem contar que, quando precisamos resolver muitas coisas simultaneamente, perdemos o foco em todas elas.

E se você chegar nesse ponto, pode pôr tudo a perder, pois não terá o empenho necessário para a realização dos seus objetivos.

Você precisa ter em mente que os planos traçados exigem tempo, dedicação, contato com outros profissionais e até investimento para serem concluídos. Então, utilize o bom senso e, de acordo com o objetivo e prazos estabelecidos, avalie com quantas metas é possível trabalhar ao mesmo tempo.

5. Revise os objetivos

É importante ter em mente que a sua lista de metas não é um guia estagnado. De tempos em tempos, ela deve ser revista e avaliada, pois existem variáveis que podem determinar mudanças de rumo, como:

  • transformações que vão ocorrendo em sua carreira;

  • sua própria maturidade profissional;

  • a conjuntura econômica — que pode exigir uma mudança na administração de uma empresa ou na sua vida profissional;

  • sua vontade de atuar em um nicho diferente,

  • oportunidades que podem surgir e fazer você repensar sua trajetória.

Além disso, sua rotina é muito dinâmica, e novos contatos podem surgir a qualquer momento, exigindo mudanças naquilo que você planejou. Por exemplo: será que não é o momento de implementar a gestão à vista, ou seja, envolver mais os colaboradores, para que eles possam acompanhar os resultados da empresa, estratégias e performance da própria equipe?

Para fazer essa revisão, repasse todos os seus planos, destacando as metas que alcançou e aquelas que não foram atingidas. Isso é importante, pois nem sempre tudo o que planejamos realmente acontece ou, pelo contrário, pode sair melhor do que imaginávamos.

Se as suas metas se voltam para a área de gestão de projetos, por exemplo, é importante verificar com calma os indicadores de desempenho. Avalie os pontos que possibilitaram alcançar os objetivos e os pontos que dificultaram.

Assim, você tem mais clareza para fazer essa revisão de acordo com o seu planejamento futuro, com mais chances de conseguir resultados melhores para sua carreira ou para o seu negócio. O essencial é que você tenha flexibilidade para conseguir pensar em um novo planejamento e, assim, seguir adiante.

6. Monitore seu desempenho

Você está no caminho certo? Como estão suas conquistas? Está conseguindo cumprir os prazos que estabeleceu? Para que se sinta motivado, é importante acompanhar cada progresso.

Se quiser ter uma visão bem clara, faça uma planilha com os detalhes de cada meta e veja o que levou a conquistá-la. Por exemplo, será que foi preciso mudar algum hábito ou você realmente se dedicou mais para cumpri-la?

Quando você monitora seu desempenho, consegue visualizar os projetos que saíram do papel e deram certo, os que estão próximos de serem alcançados, os que precisam de ajustes e aqueles que precisam ser revistos. Esse acompanhamento certamente vai trazer mais confiança para você seguir em frente.

7. Elabore um plano de ação

Você conseguiu fazer uma lista de metas, de curto, médio e longo prazo, mas e agora? Talvez essa seja a etapa mais difícil, já que é preciso tirar as metas do papel. É, portanto, o momento de se organizar!

Para concretizar tudo o que traçou, será necessário fazer um plano de ação, ou seja, pensar em caminhos para conquistar cada uma das metas. Nessa hora, você deve saber como diminuir a distância entre estratégia e execução, conseguindo transformar a teoria em medidas práticas.

Mas não pense que essa etapa é um bicho de sete cabeças! É como um plano de negócios, porém voltado para a realização dos objetivos que você traçou para sua carreira.

Essa fase, geralmente, envolve cursos de qualificação e atualização (como especializações e MBAs), participação em eventos e até mudanças na forma como você comanda seu negócio, entendendo, por exemplo, a diferença entre gestão empresarial e administração.

Na hora de partir para a ação, é importante agir de acordo com a ordem de prioridades estabelecidas. A dica é colocar uma data de início e término para a conclusão de cada meta, além de detalhar outros pontos, como:

  • recursos necessários;

  • estratégias que vai usar;

  • mudanças que esse plano de ação vai trazer para a sua rotina.

Se a meta for realizar um curso de pós-graduação, por exemplo, adapte sua agenda para encaixar os estudos e acompanhe as aulas com dedicação. No início, será preciso modificar alguns hábitos, saber dizer não ou abdicar de alguns momentos de lazer com a família e amigos.

No entanto, é necessário enxergar longe, ou seja, entender que o sacrifício é necessário, pois a conquista das metas é importante para sua vida.

Talvez você se assuste com alguma meta que pareça muito difícil de ser alcançada. A dica é ficar calmo e dividi-la em etapas menores.

Dessa maneira, você sabe por onde começar e consegue se organizar para realizar, aos poucos, o que foi planejado. Além disso, tem fôlego a cada conquista para seguir em frente, em vez de jogar tudo para o alto porque não sabe nem por onde começar.

É importante escrever esse plano de ação no papel e deixar em um local visível para que possa acompanhar os passos que deve seguir. Caso algo não saia no tempo planejado ou ocorra algum contratempo, não se frustre — seja flexível e revise tudo o que planejou.

Persistência é a palavra de ordem

Vivemos em uma era em que somos cobrados o tempo todo e, por isso, esperamos os resultados de maneira rápida. Mas nem sempre isso acontece quando se tem um objetivo mais complexo e que, portanto, envolve uma série de metas para serem alcançadas.

Nesse momento, é importante ter persistência. O essencial é que você consiga concretizar tudo o que estabeleceu, mesmo que isso leve mais tempo, exija um esforço maior ou, ainda, uma mudança de estratégia.

Inspiração em histórias de sucesso

Você pode ficar perdido ao pensar em como definir metas, pois, quando se trata de carreira, muitas vezes, são vários caminhos que podem ser seguidos: buscar crescimento na mesma empresa ou se aventurar em um segmento diferente? Tentar a realização profissional no empreendedorismo? Organizar-se e fazer um curso no exterior?

Nessa hora, vale ter inspiração em pessoas em quem você admira e confia. Conhecer histórias de sucesso pode ajudar a seguir o rumo mais condizente com suas ambições de carreira.

Se alguém na sua empresa ou algum colega ou professor da pós trilhou uma trajetória de sucesso, por exemplo, por que não se espelhar nessas pessoas? A dica é ser franco, pedir orientações e trocar experiências para que você também consiga se realizar profissionalmente.

Agora que você já descobriu como definir metas, está pronto para elaborar um plano eficiente de carreira e conseguir a ascensão profissional. É claro que você vai enfrentar obstáculos pelo caminho, mas o importante é não abandonar o “mapa” que você delineou e ser flexível quando o momento pedir.

Além disso, esteja sempre atento a seus avanços. Muita gente tende a se concentrar no que deu errado pelo caminho e acaba desanimando, mas a dica é manter o foco em suas conquistas. É importante aprender com as metas que tiveram sucesso para que você leve essa lição para os próximos objetivos da sua lista.

Gostou do guia que elaboramos para nortear sua carreira? Aproveite e compartilhe este passo a passo com os seus amigos nas redes sociais!

 

Escreva um comentário

Share This