Categoria

Negócios

Categoria

Como estratégias de marketing digital podem melhorar seu negócio?

As empresas contemporâneas — mesmo os pequenos negócios — precisam se adaptar ao mercado altamente conectado pela internet. Sendo assim, é essencial entender o novo modelo de consumidor e buscar formas de melhorar os resultados do seu negócio utilizando os canais que a web oferece.

Para isso, você precisa investir em estratégias de marketing digital a fim de criar um relacionamento mais estreito com o público e conseguir maior visibilidade para sua marca, produto ou serviço. Em resumo, é uma forma de promover sua empresa, utilizando as mídias digitais da forma mais adequada.

Uma das vantagens é conseguir alcançar um público segmentado, ou seja, do seu interesse, de uma maneira mais econômica se comparada às mídias tradicionais — como jornais, revistas e outdoor.

Quer entender como explorar as possibilidades do universo online e não ficar de fora da transformação digital? Confira nosso post e descubra como aplicar as melhores estratégias no seu negócio!

Quer maximizar os resultados da empresa? Aposte na liderança e motivação

Conquistar resultados cada vez melhores é o principal objetivo de toda empresa. Para cumpri-lo, é fundamental cultivar boas práticas de liderança e motivação dos funcionários. Afinal, os colaboradores são os grandes responsáveis pelo sucesso ou fracasso de um negócio, e saber a melhor forma de guiá-los faz uma enorme diferença em qualquer organização.

Liderar é ser capaz de incentivar um grupo de pessoas a trabalhar por um objetivo em comum. Cada gestor tem uma personalidade, e isso se reflete no seu estilo de conduzir a equipe. A forma como ele lida com os funcionários, sua experiência e sua capacidade de argumentação influenciam diretamente no desempenho e motivação do time.

Para ajudar você a entender melhor como liderança e motivação se relacionam, montamos este guia com todas as informações essenciais sobre o assunto. Você conhecerá os estilos de liderança mais comuns do mercado e verá dicas sobre como conduzir uma equipe com mais eficiência. Está preparado? Acompanhe o post!

Confira as 7 principais tendências de negócios para os próximos anos

Quem busca empreender deve ficar de olho nas tendências de negócios e, assim, investir os recursos em segmentos aquecidos. A economia está se recuperando, o que também ajuda a impulsionar novas empresas.

Se você quer ter o próprio negócio deve fazer um estudo do mercado, um planejamento minucioso e fortalecer o networking para começar o empreendimento de forma mais segura.

Quer descobrir quais setores estarão em alta para os próximos anos? Acompanhe nosso post e veja algumas ideias de negócios de sucesso para você investir!

1. Mercado de food service

Uma das principais tendências de negócios é o mercado de food service, chamado também de alimentação fora do lar. Na última década, o segmento movimentou nada menos do que R$ 170 bilhões ao ano segundo o Instituto Foodservice Brasil (IFB).

É, portanto, um segmento bastante aquecido e mostra uma mudança de comportamento do consumidor. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 34% dos brasileiros fazem a refeição fora do lar e gastam 25% da sua renda nesse tipo de refeição.

Dentro desse setor, o de alimentação saudável, com produtos naturais, sem glúten, sem lactose ou ainda que utiliza os orgânicos tem se destacado. Isso acontece porque as pessoas estão mais informadas sobre as propriedades dos alimentos e sobre a importância de adotar um estilo de vida focado na saúde e qualidade de vida.

2. SaaS

Saas é a sigla para “software as a service” ou “software como serviço”, tendência que vem ganhando força nos últimos anos. É um negócio no qual se faz a venda de um software acoplado aos serviços oferecidos pela empresa.

Trata-se, na verdade, de um site que utiliza computação em nuvem e passa a oferecer determinado serviço com toda a estrutura necessária para a perfeita utilização do programa, como a segurança dos dados, servidores e atualizações.

Assim, dispensa um meio físico, como um CD ou DVD, elimina prazo de entrega e pontos de vendas. Além disso, possibilita ao cliente fazer um teste gratuito e tem a versatilidade do acesso remoto.

Normalmente, o SaaS se baseia no formato de assinaturas (ao contrário da aquisição de licenças) e exige a conexão com a internet para a implementação da aplicação e comunicação entre clientes e a empresa prestadora do serviço.

3. Marketing interativo

É uma ação de marketing que tem como objetivo interagir com os consumidores e, diante das informações colhidas nesse contato, formular novas ações, de maneira cíclica. É um sistema que busca entender o comportamento do cliente e, assim, pensar em novas estratégias para atraí-lo de acordo com suas preferências.

Cria-se, dessa forma, uma lealdade do consumidor com a marca, porque a empresa, nessa interação, estabelece um diálogo permanente com ele. Assim, pode fazer modificações em seus produtos ou serviços de acordo com os interesses, estilo de vida e padrão de compra do público.

Desse modo, a estratégia, ao invés de vender um produto para um número grande de clientes, procura vender um número grande de produtos a um único cliente. Se você quer empreender, considere essa oportunidade de negócio.

4. Consultorias

Ingressar em consultoria pode ser uma alternativa para quem tem poucos recursos para começar um negócio próprio. É um serviço que pode ser oferecido em qualquer área, basta você ter conhecimento e, assim, assessorar da melhor forma seus clientes.

É possível prestar consultoria na área financeira e contábil ou ainda em marketing digital. A vantagem é que é um serviço que pode ajudar empresas que passam por bons ou maus momentos, já que o intuito é oferecer soluções e melhorar os resultados.

Para trabalhar com consultoria, é fundamental é ser especialista no segmento para poder dar um suporte completo ao cliente.

5. Coworkings

Uma das tendências para os próximos anos é o coworking, um reflexo do maior interesse por negócios de economia compartilhada.

É comum profissionais não terem um escritório próprio e também não conseguirem trabalhar em casa. Assim, acabam procurando um ambiente como esse para reduzir os custos (luz, aluguel, condomínio, internet) e até trocar experiência com pessoas de outras áreas.

Quem quiser investir nesse segmento deve se preocupar em montar um espaço atrativo, confortável e de fácil acesso. Além disso, é importante fazer uma boa divulgação, principalmente nos meios digitais.

6. UX Design

Os segmentos de negócio em alta buscam oferecer uma experiência diferenciada aos clientes em sua jornada de compra. E é esse o objetivo do UX Design que significa “user experience” ou experiência do usuário.

Assim, é a área de design que se volta para oferecer algo pensando na relação com o consumidor. São aplicativos, websites e canais de atendimento online que sejam intuitivos, acessíveis e simples de navegar.

A ideia é que o cliente tenha uma percepção positiva da marca e se torne fiel a ela por conta da boa experiência oferecida na interação. O levantamento da On3 Software Development apontou que 9 em cada 10 clientes substituiriam uma marca por seu concorrente depois de uma experiência ruim de uso. Além disso, companhias que investem em UX observam um aumento de 37% em sua receita.

7. Desenvolvimento de aplicativos

Os aplicativos continuam como uma das principais tendências de negócios, já que cada vez mais pessoas se valem de seus smartphones para se comunicar, buscar informações, entretenimento e uma série de serviços que facilitam o dia a dia.

Um estudo do App Annie, que faz análises sobre o uso de aplicativos em nível global, mostrou que o brasileiro usa, em média, 12 apps no celular a cada 24 horas. Em 2017, foram mais de seis bilhões de downloads realizados.

Dessa forma, o desenvolvimento de aplicativos — principalmente os que ofereçam soluções práticas — torna-se um mercado promissor no país.

Agora que você já conhece as principais tendências de negócios para os próximos anos pode ficar mais seguro para empreender. Seja qual for o segmento escolhido, a recomendação é sempre buscar cursos de qualificação — como especialização ou MBA — para obter mais conhecimentos e ter as competências necessárias para fazer uma boa gestão empresarial.

Falando no assunto, que tal entender melhor sobre a Gestão Empresarial 3.0? Baixe nosso e-book e fique por dentro principais visões para a construção de uma organização mais ágil e competitiva!

 

As 5 estratégias de marketing usadas por empresas globais

Os impactos da transformação digital na sociedade modificaram completamente as relações de consumo e colocaram os clientes no centro do negócio. Com isso, empresas globais tiveram de adaptar suas estratégias de marketing para conseguir aumentar sua audiência, criar valor para seus públicos e, enfim, engajá-los com os ideais das marcas.

Ao contrário das fases anteriores à era digital, hoje, o consumidor é bem informado, determina tendências e sua opinião reflete diretamente no negócio. Nesse sentido, as empresas globais de maior destaque investem em estratégias online e offline com o intuito de conhecer detalhadamente seu público, de forma a fortalecer sua marca e fidelizar os clientes.

Se você está procurando inspiração para elaborar uma estratégia de marketing arrojada e expandir o alcance de seus negócios, confira neste artigo 5 exemplos de estratégias utilizadas por algumas das maiores companhias do mundo!

1. Uso de marketing digital e mídias sociais

Investir no meio digital é a maior aposta para alavancar os negócios da atualidade. O marketing digital compreende uma série de estratégias que utilizam exclusivamente canais online, com o intuito de expor uma marca e conquistar cada vez mais consumidores em potencial (leads) e dirigi-los à conversão.

De acordo com o portal alemão de estatísticas Statista, as 10 técnicas de marketing digital mais efetivas são:

  1. Marketing de conteúdo;

  2. Inteligência artificial e machine learning (aprendizado de máquina);

  3. Big data;

  4. Mídias sociais;

  5. Automação de marketing;

  6. Mobile marketing (marketing realizado por meio de celulares e dispositivos móveis);

  7. Otimização de conversão (CRO), ou melhoria na performance de sites;

  8. Otimização para mecanismos de busca (SEO), ou melhoria no posicionamento orgânico em ferramentas de busca;

  9. Marketing de comunidade;

  10. Internet das Coisas (IoT).

A principal vantagem do marketing digital é que sua marca consegue falar diretamente com seu público de interesse, conhecer e mensurar seus hábitos, necessidades e desejos. Como toda movimentação feita no meio digital pode ser registrada, é possível obter dados concretos de comportamento e determinar seu consumidor ideal.

Muitas das empresas já nasceram digitais e estão se tornando gigantes. Esse é o caso do AirBnb, que possibilita o compartilhamento de acomodações de todo tipo ao redor do mundo. O site e aplicativo revolucionou o jeito de se procurar por hospedagens, a ponto de enfurecer o setor hoteleiro, que tenta barrar seu uso em inúmeras cidades.

A estratégia de marketing do AirBnB visa atrair viajantes e anfitriões para a plataforma. Seu marketing digital depende principalmente de imagens e vídeos gerados por usuários no Facebook, Instagram e Twitter. Sua campanha no Instagram combina humor com imagens atraentes de diferentes locais de viagem ao redor do mundo, tornando-a mais do que apenas um serviço: trata-se de um fórum de viagens também.

2. Efeito de rede

O chamado efeito de rede é um dos maiores potencializadores de valor para um bem ou serviço. Em outras palavras, os benefícios desse produto aumentam à medida que ele é utilizado por um número maior de pessoas. Um exemplo claro é o Facebook. Se todos os seus amigos estão utilizando a rede social, há grandes chances de você também aderir.

Uma característica das empresas globais que apostam no efeito de rede é que elas começaram com mercados pequenos. O próprio Facebook iniciou as atividades na Universidade de Harvard (Estados Unidos).

Outro exemplo é brasileiro: o sistema de cartões de crédito e contas bancárias Nubank. Por meio do sistema de convites a amigos, as adesões aumentaram substancialmente e a marca tornou-se uma gigante avaliada em mais de US$ 1 bilhão.

3. Preservação da identidade da marca com foco em branding

Empresas globais detêm o monopólio de suas marcas. Para tanto, suas estratégias de marketing são desenvolvidas para que a gestão da marca (branding) trabalhe fortemente seu posicionamento e o que ela representa no mercado.

Em outras palavras, o branding não significa o que você pensa sobre sua marca, mas o que você deseja que seus consumidores pensem sobre ela. Algumas marcas investem tanto na preservação da identidade de sua marca, que ela “entra” na vida das pessoas a ponto de se confundir com o próprio produto. É o caso da Bombril, Gillette, Danone e, mais recentemente, a Google.

Mas, talvez o melhor exemplo seja a Coca-Cola, que investe em um marketing global, engajado inclusive com responsabilidade social nos lugares onde atua. Isso acontece porque a empresa trabalha incansavelmente para unificar seu sistema de negócio, marca e consumidores, a fim de ser onipresente. Não é à toa que a companhia figura no ranking das empresas mais lembradas do mundo e tem um portfólio de mais de 500 marcas.

4. Marketing de valor

Não confunda valor com preço. Nas estratégias de marketing de valor, o objetivo é que o consumidor adquira valores simbólicos e afetivos a partir da experiência de compra. Um bom exemplo disso é a Apple, cujos produtos possuem valor elevado e, mesmo assim, a empresa é líder de vendas.

A empresa pauta o desenvolvimento de seus produtos por inovação e criatividade ao criar soluções capazes de gerar experiências excepcionais. Tanto que é comum os usuários de seus smartphones substituirem o substantivo “celular” pela marca “iPhone”.

A Apple é convicta de que seus produtos podem realmente mudar a vida das pessoas, e essa premissa orienta suas estratégias de marketing. Ao criar esses valores, conquista mais e mais clientes que se desdobram para comprar um dos sofisticados (e caros) produtos.

5. Uso de chatbots

Na esteira da inteligência artificial, os chatbots estão ajudando muitas empresas a resolverem problemas de atendimento e fornecerem respostas efetivas para os consumidores. Em resumo, o chatbot é um software capaz de simular um ser humano na interação com uma pessoa. Está sendo especialmente usado em atendimentos online, que dão a impressão de que há um funcionário da empresa 24 horas para receber suas dúvidas.

Para que essa conversação se torne o mais real possível, o software desenvolve uma conversação amigável com o cliente e fornece respostas às dúvidas a partir da análise de um banco de dados. Além disso, o chatbot aprende a partir das interações com o usuário e fornece respostas cada vez mais específicas.

O boom dos chatbots se deu a partir de 2016, e hoje grandes corporações no Brasil e no mundo estão utilizando o recurso. Algumas delas criam até mesmo avatares que dão a sensação de estar falando com o próprio “ombudsman” da organização. Veja alguns exemplos:

  • Casas Bahia;

  • Magazine Luiza;

  • Rock in Rio;

  • Uber;

  • Facebook;

  • Subway;

  • Ebay;

  • Pizza Hut;

  • American Express.

Você pôde observar que todas as estratégias de marketing citadas neste artigo são pautadas pela inovação e tecnologia. Como dissemos no início, o consumidor está bem informado. Isso torna o processo de fidelização muito mais complexo, já que motivos banais levam à desistência de compra ou recusa da marca. Por isso, todas essas medidas visam à aproximação com o cliente ideal, como forma de demonstrar que a empresa se importa com suas necessidades e desejos.

Gostou deste artigo? Para receber notícias exclusivas sobre o mundo dos negócios assine já nossa newsletter!

 

Afinal, aprender sobre fundamentos de liderança impacta no seu negócio?

Orientação de equipes, retenção de talentos e mediação de conflitos estão entre as principais atividades exercidas pelos líderes. Por se envolverem em inúmeros processos, esses profissionais ocupam cargos estratégicos nas empresas e passam a ter uma visão global do negócio.

Mas participar de diversas atividades não é suficiente para se tornar um bom gestor, muito menos para manter esse perfil ao longo do tempo. Como toda figura exemplar, o líder precisa investir no aprimoramento constante se quiser atualizar conhecimentos, desenvolver habilidades e dominar novas ferramentas.

Aprender sobre fundamentos de liderança também é essencial para entender as características desejáveis na gestão empresarial. Em outras palavras, fica mais fácil selecionar e aplicar as melhores ações no dia a dia de trabalho.

E você, quer saber mais sobre como esse aprendizado impacta nos negócios? Continue a leitura para descobrir!

Entenda a importância de um relatório para tomada de decisão na empresa

Quando mencionamos relatórios no ambiente de trabalho, quase sempre eles estão vinculados a ideias como monotonia e repetividade. No entanto, é preciso reverter essa percepção. Isso porque esses documentos são instrumentos bastante importantes, uma vez que fornecem informações relevantes na hora de decidir aspectos cruciais para a gestão de qualquer negócio.

Por isso, neste texto, abordamos a importância de um relatório para tomada de decisão, quais são os principais tipos desse documento e quais são os benefícios decorrentes de acompanhá-los sempre.

Interessado? Então prossiga a leitura!

Responsabilidade social: uma prática que não deve ficar apenas no papel

Foi-se o tempo em que a atuação das empresas se resumia à obtenção de lucros. Garantir bons resultados ainda é essencial para a manutenção do negócio, mas isso não exclui outras preocupações.

Uma delas é o impacto causado pelas atividades desenvolvidas pela empresa e o que fazer para melhorar de alguma forma a sociedade ao seu redor. Dessa maneira, a cada dia cresce a relevância da responsabilidade social. Embora seja um conceito muito utilizado, seu significado real é pouco debatido.

Por isso, neste post, trazemos uma visão ampla sobre esse termo, qual a sua importância e como as empresas podem colocá-la em prática. Boa leitura!

Saiba como o turnover afeta seus resultados e trabalhe para evitá-lo

Faz parte da dinâmica de uma empresa lidar com a admissão e o desligamento de funcionários. Esses processos são frequentes, mas é fundamental que haja uma análise cuidadosa deles, já que a rotatividade de colaboradores — ou turnover — pode indicar diversos pontos que merecem atenção dos líderes.

Nos últimos anos, os empreendedores têm reconhecido que os recursos humanos estão entre os fatores mais competitivos para o empreendimento. Assim, perder um funcionário, sendo ele demitido ou tomando a iniciativa de pedir o desligamento, não é um fator desejável. Além de aumentar os gastos com rescisões e contratações, também gera um impacto negativo na produtividade das equipes.

Por isso, vale a pena avaliar a taxa de rotatividade e pensar em estratégias que possam manter esse número sob controle. Quer saber mais sobre o assunto? Confira nossas dicas!

Qual a diferença entre Gestão Empresarial e Administração?

Há pouco tempo, a palavra “administração” era a mais utilizada nas empresas e instituições de ensino superior. Mas, atualmente, a expressão “gestão empresarial” vem ganhando força. Então, você deve estar se perguntando: qual a diferença entre Gestão Empresarial e Administração?

Apesar de a maioria das pessoas acreditar que são a mesma coisa, são termos que representam conceitos distintos. Estão massivamente presentes no universo corporativo, mas existem particularidades que os definem separadamente.

Antes de esclarecer as diferenças, devemos mostrar o que têm em comum. Basicamente, tratam da necessidade de motivar pessoas a gerir e administrar áreas de trabalho específicas ou toda a empresa. Ambos os conceitos são empregados no sentido de coordenar e orientar os colaboradores a atingirem seus resultados dentro de um cronograma predefinido.

O post de hoje visa esclarecer as diferenças entre Gestão Empresarial e Administração em seus mínimos detalhes. Ainda não sabe a diferença? Então, acompanhe as explicações a seguir!

Como a inteligência artificial nos negócios pode impulsionar resultados?

Por muito tempo, máquinas capazes de pensar, falar e resolver problemas eram apenas sonhos mirabolantes que só seriam reais em um futuro muito distante. Pois esse futuro chegou. Cada vez mais nos deparamos com sistemas de inteligência artificial nos negócios, afazeres cotidianos e até dentro das nossas casas.

No mundo corporativo, em especial, tal avanço vem trazendo resultados impressionantes. Apesar de as empresas ainda não terem aproveitado nem 10% do potencial dessa tecnologia, já é possível perceber mudanças significativas na maneira de fazer negócios e se relacionar com os clientes.

Pensando nisso, elaboramos um guia completo sobre a relação entre a inteligência artificial e as organizações. Você aprenderá tudo o que há de mais importante sobre o conceito, suas aplicações e impactos no dia a dia das empresas. Quer saber mais? Acompanhe o post!