Categoria

Carreira

Categoria

Método GTD: aprenda a gerenciar suas ações e ser mais produtivo

O método GTD (Getting Things Done) tem a proposta de ser muito mais do que apenas um organizador de tarefas. A metodologia ajuda a trazer espaço para pensar, ter clareza mental e, assim, saber tomar decisões adequadas. Tudo isso é feito por meio da correta organização de todas as etapas, fazendo com que você tenha acesso às informações relevantes no momento em que precisar.

Além de gerenciar projetos, o GTD estimula as pessoas a darem atenção a diversas áreas e questões fundamentais da vida, trazendo bem-estar e equilíbrio psicológico. Um dos objetivos é possibilitar que o inconsciente esteja livre para criar ideias e oportunidades.

Continue a leitura e conheça mais sobre o método GTD e entenda como ele pode ajudar a aumentar a sua produtividade!

O que é e como funciona o método GTD?

O GTD consiste em uma ferramenta largamente testada que ajuda as pessoas a retomarem o controle do seu dia a dia, organizando suas tarefas e vivendo uma vida mais consciente. Isso significa que o método ajuda com a produtividade pessoal.

A metodologia foi desenvolvida por David Allen e apresentada pela primeira vez em seu livro lançado em 2001 que trata sobre a arte de fazer acontecer: “Getting Things Done: the Art of Stress-Free Productivity”.

É importante frisar que o seu objetivo não é ser um método extraordinário para organizar a vida de qualquer pessoa de uma hora para outra. Na verdade, uma das suas principais qualidades é que o usuário precisa se envolver no aprendizado das bases e dos princípios do GTD. Assim, a adaptação é progressiva e tende a ser mais estável e permanente.

Na prática, é necessário começar com a criação do mindset, ou seja, de um modelo mental favorável para que a técnica seja aplicada com sucesso. No início, somos convidados a conhecer e nos acostumar aos seus princípios e, em seguida, é possível partir para a implementação do método.

Como implementar o método GTD na prática?

Existem 5 passos básicos para implementar o método GTD. Confira, a seguir, como colocá-lo em prática:

Coletar

O primeiro passo é anotar todas as ideias e obrigações que você tem no dia a dia. É importante incluir tudo o que for importante, como tarefas, projetos, atividades, objetivos, viagens que quer fazer, entre outros.

Essa lista é útil para visualizar tudo o que está na sua mente e, assim, ganhar mais tranquilidade, pois não será necessário se lembrar de todas as ações o tempo inteiro. Para facilitar essa tarefa, é possível contar com o auxílio de algum aplicativo ou gerenciador de tarefas. Outra opção é usar um bloco de notas no celular ou no computador.

Processar

Agora é o momento de pegar a lista e analisar cada uma das atividades que escreveu e decidir o que fazer com elas. Para cada uma, existem duas opções: tomar uma atitude ou não fazer nada. No primeiro caso, é possível:

  • descartar o que não é, de fato, importante;

  • criar uma lista para ações ou projetos que serão realizados no futuro, pois não têm prazo definido.

Para os itens que necessitam de ação, você deve criar uma lista e analisar as tarefas que demandam menos de 2 minutos para serem executadas. Nesse caso, coloque-as em prática e elimine-as do quadro. Agora, se a atividade requer mais de 2 minutos, você pode:

  • delegar a tarefa para um responsável;

  • marcar um dia e um horário para a realização da função;

  • transformar as tarefas maiores em um projeto.

Organizar

Organize os seus projetos e as suas tarefas de acordo com o contexto e a prioridade de cada uma delas. Alguns exemplos são:

No contexto “pessoal”, inclua todos os projetos ou atividades pessoais. Na pasta “trabalho”, você deverá colocar tudo o que for relacionado à sua vida profissional — e assim por diante.

Isso vai deixar as tarefas mais organizadas e fáceis de serem encontradas, tornando mais fácil verificar o que precisa ser feito em cada um dos cenários.

Revisar

O quarto passo é fazer uma revisão constante de todas as tarefas, projetos e compromissos organizados — cerca de uma vez por dia ou por semana. Repense as prioridades, adicione novas obrigações e confira as atividades delegadas.

Uma dica é agendar essa revisão no seu calendário. Isso ajuda a garantir que essa etapa não será negligenciada.

Fazer

Agora é o momento de colocar as tarefas em prática. Por isso, realize todas as atividades, de acordo com o que está na agenda e na ordem de próximas ações. É nesse momento que você perceberá a sua produtividade aumentando.

A utilização do GTD no dia a dia assegura maior eficiência, mais clareza de pensamento, maior produção e tomada de decisões mais certeiras. Porém, você só vai dominar a ferramenta com o tempo.

Por isso, mesmo que o método pareça confuso no começo, lembre-se de que isso é natural. Não deixe de tentar e, sempre que necessário, volte, reavalie e tente de novo.

Quais são os benefícios do método GTD?

Ao compreender e colocar em prática o método, é possível perceber diversas consequências positivas em seu desempenho profissional e pessoal. Veja, abaixo, os principais benefícios do GTD:

Organização

O método é capaz de melhorar a organização pois o fluxo de atividades passa a seguir um caminho lógico, desde a entrada da demanda até a produção dos resultados. Além disso, existe uma maior definição do momento e forma de realizar uma ação.

Criatividade

O GTD esvazia a mente de situações causadoras de estresse e ansiedade, permitindo que você fique livre para desenvolver seu potencial criativo em cada atividade.

Produtividade

Com a implementação do método GTD, a produtividade aumenta, pois você passa a gerir seu tempo e a realizar um trabalho qualitativa e quantitativamente superior. A ferramenta também pode ser aplicada em trabalhos em grupo, de forma a ter um controle mais eficiente dos estágios de cada um dos projetos.

Como foi possível perceber, o método GTD é uma ferramenta acessível, simples e que gera ótimos resultados em termos de produtividade. Quando você está engajado em conquistar novos níveis de atuação e melhorar seu desempenho, o sucesso profissional é garantido!

Gostou do nosso conteúdo? Então, não deixe de assinar nossa newsletter e receba outras informações diretamente no seu e-mail!

 

Rede de relacionamentos: como ampliar seu networking em eventos

Construir uma rede de relacionamentos profissionais é essencial para quem busca mais sucesso em sua carreira. Afinal, saber se relacionar com pessoas da sua área ou de campos afins ao seu traz muitas vantagens tanto em conhecimento quanto em oportunidades de trabalho.

Manter (ou retomar) o contato com colegas e professores dos cursos que você já fez é uma boa estratégia para encontrar oportunidades — mas é preciso ir além! Portanto, que tal saber como aproveitar os eventos para fazer boas conexões e desenvolver sua rede de contatos? Confira nossas dicas neste artigo!

Por que é importante ampliar seu networking?

O networking é uma forma de garantir a credibilidade nas relações de trabalho. Já que, ao encontrar uma oportunidade por indicação, tanto a empresa quanto você tem mais segurança em começar esse relacionamento. Afinal, o início costuma ser mais fácil quando tem alguém próximo para contar a você os detalhes do trabalho e apoiá-lo nesse momento.

Além da possibilidade de encontrar boas oportunidades no mercado de trabalho e de dar passos com mais segurança na sua carreira, ampliar o networking também tem a vantagem de agregar mais conhecimento teórico e prático. Isso acontece a partir das trocas de experiência com as pessoas.

Assim, seu perfil se torna mais rico pelo intercâmbio com colegas. É possível discutir assuntos pertinentes à sua prática, esclarecer dúvidas sobre temas com os quais não tem muita afinidade e, ainda, pedir indicações de referências para estudar novas coisas. Sem dúvida, essas ações melhoram sua atuação.

Outro motivo para ampliar a sua rede de relacionamentos é a chance de se aproximar de pessoas que tenham objetivos parecidos com os seus. Talvez nenhum dos seus colegas atuais tenha essa afinidade, mas, com o tempo, você pode conhecer pessoas com quem deseja trabalhar junto em um projeto autônomo. Assim, a rede de contatos também possibilita encontrar sócios e parceiros.

Como construir uma rede de relacionamentos em eventos?

Depois de ler todos os benefícios que um networking pode trazer, você certamente está ansioso para saber como alcançá-los, certo? Então, veja a seguir algumas dicas para estabelecer uma boa rede de relacionamentos por meio de eventos!

Saiba se apresentar

Participar de eventos, como palestras, encontros e simpósios, é muito importante em qualquer momento profissional. Porém, algumas pessoas limitam a riqueza dos eventos, pois apenas frequentam a programação, sem utilizá-la para, de fato, conhecer novas pessoas.

Então, mude isso agora mesmo! Para fazer valer todas as oportunidades de um evento, esteja sempre pronto a se aproximar das pessoas e se apresentar, cuidando da sua imagem profissional. Vale a pena pensar em um pequeno texto inicial para não ficar perdido quando alguém perguntar o que você faz ou o que está buscando na profissão.

Mapeie possíveis convidados e palestrantes

Geralmente, a programação de um evento é divulgada no período de inscrição ou, pelo menos, alguns dias antes do início. Esse momento é o ideal para organizar a ampliação de sua rede de relacionamentos. Dê uma olhada no que está proposto no evento e identifique pessoas que você gostaria de conhecer.

Não tenha em mente apenas os convidados e palestrantes. Procure também perceber as palestras ou outras programações que podem aproximar você de pessoas com interesses semelhantes aos seus. Assim, enquanto estiver lá, é possível aproveitar alguma chance de conversar e trocar contato com elas.

Aproveite todas as oportunidades do evento

Como falamos, ir a um evento apenas para acompanhar a programação não é o ideal. É claro que isso traz vantagens, já que contribui para sua qualificação profissional. Entretanto, essa postura não agrega nada à rede de relacionamentos.

Por isso, é importante circular por todo o evento para identificar oportunidades de contatos profissionais. Além de assistir às discussões, fique atento também a espaços informais, como o balcão de credenciamento ou a região próxima da mesa de água e café — as pessoas costumam engatar boas conversas enquanto estão por ali.

Alguns eventos, principalmente os que têm organização nacional, costumam combinar um jantar de confraternização. Essa também é uma ótima oportunidade para conhecer as pessoas e fazer contatos profissionais.

Tenha um cartão profissional

Vamos imaginar que você desenvolveu uma conversa muito produtiva com alguém e, ao se despedir, tem interesse em trocar contatos para continuar o relacionamento depois do evento. O ideal é entregar um cartão de visitas. Isso traz muito mais credibilidade do que anotar o número em um papel ou no celular.

Além disso, ter um cartão também facilita que a pessoa se lembre do que você faz e de onde trabalha. Assim, há maiores chances de ela realmente entrar em contato com você. Por isso, não se esqueça de levar um número suficiente de cartões para o evento.

Mantenha o contato após o evento

Se você conversou com alguém durante o evento, mas não ativou esse contato depois, infelizmente essa pessoa ainda não pode ser considerada parte do seu networking. Afinal, conhecer alguém e voltar a falar com ele apenas quando precisa de uma informação não é uma prática bem-vista.

O ideal é investir no relacionamento, compartilhando benefícios. Por isso, procure falar com a pessoa novamente para lembrá-la do contato que tiveram, divulgar algum curso ou oportunidade que a interesse ou mesmo convidá-la para uma reunião ou happy hour.

De que eventos você deve participar?

Depois de ver todas essas dicas para construir uma rede de relacionamentos em eventos, você sabe que programações deve escolher para participar? Em geral, algumas têm mais potencial que outras. Por isso, é importante aprender a decidir.

Uma dica é aproveitar bastante os eventos locais, por exemplo, os que são organizados por grupos profissionais, escolas de negócios ou instituições de pós-graduação. Mas também não descarte totalmente os encontros regionais ou nacionais — fazer networking com pessoas de regiões diferentes também pode ajudar muito sua carreira.

Congressos, palestras, cursos, workshops e mesmo rodas de conversa são espaços riquíssimos para conhecer pessoas com interesses parecidos com os seus e construir laços profissionais. Na maioria das vezes, o mais indicado é procurar eventos na sua área de atuação, mas temas gerais, como palestras sobre desenvolvimento profissional, também são boas escolhas.

Além disso, encontros informais também trazem grandes oportunidades. Assim, não deixe de comparecer também a um coffee break ou happy hour. Quer mais uma dica diferenciada? Faça parte de grupos profissionais e participe de fóruns de discussão na internet. Dessa forma, você se torna mais conhecido e mesmo pessoas que não fazem parte de sua lista de contatos podem gostar do que você compartilha e lembrar-se do seu nome para uma indicação.

Saber aproveitar todos os momentos para ampliar e fortalecer sua rede de relacionamentos é essencial para alcançar o sucesso que você deseja. Mas não esqueça que networking é uma troca onde ambos saem ganhando. Por isso, pense também no que você tem a oferecer para seus colegas.

E então, está empolgado para colocar essas dicas em prática? Conheça as oportunidades da nossa página de eventos!

 

Quais são as crenças limitantes mais comuns e como contorná-las?

Boa parte do que você acredita é resultado de tudo aquilo que viu e ouviu desde criança. Logo, é comum que determinados conceitos, práticas e pensamentos tenham se tornado verdades absolutas.

O problema é quando essas ações e ideias começam a interferir de maneira negativa em suas escolhas. Nesses casos, passam a ser chamadas de crenças limitantes. O termo, por si só, é autoexplicativo, mas vale a pena conhecê-lo mais a fundo para entender os impactos que traz à rotina de uma pessoa.

Se você deseja ter melhores resultados tanto no mercado de trabalho quanto na vida pessoal, precisa encontrar formas de resolver suas crenças limitantes. Acompanhe as informações do post e saiba como fazer isso!

O que são crenças limitantes?

São marcas negativas que foram construídas ao longo da vida e que podem afetar o modo como nos relacionamos com as pessoas, nossa forma de trabalho e a maneira como exercemos diferentes atividades.

Em outras palavras, são medos, pensamentos e certezas que nos impedem de atingir determinados objetivos. Assim, se uma pessoa crê que a vida é difícil, tudo para ela será visto como algo complicado, inalcançável e extremamente desafiador.

Ao mesmo tempo, uma pessoa que cresceu acreditando não ter perfil empreendedor dificilmente encontrará motivação para mudar de carreira. Nesse caso, é provável que ela nunca se arrisque a investir no sonho de ter o próprio negócio.

É importante entender que as crenças limitantes são aquelas barreiras geradas a partir das percepções do indivíduo em relação a sua vida, carreira, habilidades, aptidões etc. Logo, a solução depende de uma mudança de pensamento e de atitudes.

Pessoas que convivem com esse tipo de problema desistem facilmente, deixam suas vontades de lado no primeiro obstáculo e tendem a culpar fatores externos pela sua falta de sucesso. É comum que justifiquem suas escolhas com base nas seguintes frases:

  • Não mereço!

  • Não sou bom nisso!

  • Não posso errar!

  • Não preciso mudar porque assim está bom!

  • Não tenho a mesma sorte que os outros!

  • Nunca vou chegar a esse nível!

  • Não tenho tempo/dinheiro para nada!

  • Não quero desagradar tal pessoa!

  • É tarde demais para mim!

Quais são as mais comuns?

As crenças limitantes podem prejudicar uma pessoa em qualquer fase da vida. São as principais responsáveis pela falta de ânimo nos estudos, pela baixa autoestima em uma relação ou pela ausência de determinação no trabalho.

É importante identificá-las para que não interfiram em decisões importantes. Veja alguns exemplos mais comuns e as consequências que elas causam.

Medo de aprender algo novo

Muitas pessoas alimentam a ideia de que mudanças não são necessárias e deixam de aproveitar ótimas oportunidades. Um exemplo seria um profissional almejar o cargo de gestão sem se preocupar em ampliar seus conhecimentos ou se capacitar para exercer o cargo.

O mesmo acontece com alguém que pretende mudar de carreira, mas adia o desejo de fazer um curso específico por medo de fracassar nos estudos. Nesses casos, a crença de ser alguém inexperiente em relação ao restante da turma fará com que o indivíduo deixe os aprendizados em segundo plano.

Falta de confiança em si mesmo

Uma pessoa crente de que comportamentos como procrastinação, atrasos e distrações definem seu perfil nunca se sentirá preparada para encarar uma rotina de pós-graduação, por exemplo. Isso porque ela tenderá a pensar que características negativas jamais podem ser mudadas.

Imagina alguém deixar de fazer um MBA por acreditar que não dará conta da carga horária? Nesse caso, a falta de confiança não permite à pessoa enxergar que outros profissionais têm rotinas parecidas e conseguem, com um pouco de organização, cumprir todas as obrigações e revisar conteúdos com eficiência.

Vergonha de se expor

Outra categoria de crenças limitantes tem a ver com o receio de apresentar ideias, propostas e percepções a outras pessoas. O motivo vem do medo de passar vergonha ou de ser ridicularizado por aqueles que tiverem contato com as informações apresentadas.

Nesse exemplo, a pessoa pode encontrar dificuldades para se comunicar em reuniões, para falar em público ou, em casos mais extremos, de expor suas soluções em provas escritas — afinal, alguém avaliará o conteúdo e adicionará uma nota.

Para quem sofre com o problema, um possível mau desempenho nessas situações será suficiente para desistir de processos semelhantes.

Como posso contorná-las?

Você não precisa ser vítima de pensamentos ruins por toda a vida. Entenda que algumas crenças são bem-vindas e fazem parte da sua formação como ser humano e cidadão. Tendo consciência disso, poderá tomar decisões mais acertadas e baseadas no que realmente deseja para cada momento.

No mais, sempre que alguma ideia atuar como bloqueio, vale buscar formas de eliminá-la para que novas oportunidades se abram no campo pessoal ou profissional. Veja, a seguir, como trabalhar essa mudança aos poucos.

Identifique as crenças limitantes

Descobrir o que tem impedido você de realizar alguma coisa é o primeiro passo. Para isso, pense naquilo que gostaria de fazer, reflita sobre os motivos de ainda não ter começado e anote tudo em um papel.

Por exemplo: quero fazer uma pós-graduação, mas não tenho tempo ou formação específica para isso. Nesses casos, é importante buscar alternativas que permitam levar o sonho adiante.

Os MBAs, por exemplo, costumam ser mais curtos (média de 2 a 3 semestres) e não exigem que a pessoa tenha uma graduação na mesma área do saber. Portanto, podem ser ótimas alternativas para incluir em seu plano de desenvolvimento profissional.

Investigue e reflita sobre as causas

Muitas crenças limitantes não passam de ideias sem fundamento. Por isso, é crucial contestá-las e saber de onde surgiram. Algumas perguntas podem ajudar:

  • Eu sempre pensei dessa maneira?

  • Outros indivíduos concordam com o meu pensamento?

  • Essa crença está me ajudando a progredir ou só gera obstáculos?

  • Como eu encararia tudo isso se fosse outra pessoa?

Os questionamentos ajudam a pensar “fora da caixa” e a entender se realmente vale a pena manter as crenças como estão. Com o tempo, você conseguirá ver tudo sob outra perspectiva para, quem sabe, transformar o modo de fazer as coisas.

Defina seus próximos objetivos

Muitas crenças limitantes vêm à mente quando precisamos estabelecer metas. Logo, é comum que, de uma maneira que nem sempre conseguimos explicar, surjam as temidas barreiras:

  • Não posso!

  • Não consigo!

  • Não sei como fazer!

Essas afirmações não precisam ser encaradas de forma negativa, contanto que você aprenda a superá-las. Para tal, foque em um objetivo e pense nas vantagens que terá ao alcançá-lo. Isso trará muita motivação para superar o medo de arriscar, de experimentar e de buscar melhorias.

Adote crenças fortalecedoras

Após identificar e refletir sobre os pensamentos que prejudicam a sua vida, é interessante estabelecer novas crenças. Estas deverão ser positivas para que fortaleçam sua caminhada rumo a novas conquistas.

A melhor maneira de fazer isso é investir em perguntas que gerem dúvidas sobre as crenças limitantes. Outra possibilidade é enfrentar alguma situação que o obrigue a realizar coisas que, até o momento, você não acreditava que fosse capaz.

Assim, em vez de afirmar “Não consigo manter um planejamento pessoal por falta de disposição”, diga “Antes eu não me preocupava em organizar meus horários, agora tenho ferramentas e estratégias que me ajudam a cumprir todas as obrigações em dia”.

Parece exagero, mas substituir justificativas por soluções simples pode mudar a percepção de uma pessoa e, consequentemente, suas ações. Com alguns minutos de reflexão na semana, suas ideias terão mudado para melhor.

E então, conseguiu identificar exemplos de crenças limitantes que precisam ser eliminadas da sua vida? Faça o exercício de anotá-las e comece a agir para tomar decisões com foco, pensamento crítico e preparo adequado.

Ainda não segue o nosso perfil nas redes sociais? Faça uma visita e acompanhe as seguintes páginas: Facebook, LinkedIn, Twitter e YouTube.

 

Como ser promovido no trabalho? Entenda o que falta para você!

Não existe um manual absoluto que demonstre o passo a passo para você garantir uma promoção no trabalho. Cada empresa tem os seus próprios métodos para escolher os profissionais que serão promovidos. Em meio às dúvidas, você se pergunta: como ser promovido? Neste artigo, nós destacamos algumas regras infalíveis para isso.

Abordamos pontos como o seu desempenho, participação nos processos e resultados da companhia, motivação e, principalmente, a necessidade de se qualificar. Para receber uma promoção, você precisa estar preparado. Ao longo do texto, explicitamos maneiras de colocar esse desejo em ação.

E então, deseja ser promovido no trabalho? Continue a leitura e entenda o que falta para você conseguir isso!

Pós-graduação e MBA fazem alguma diferença real no mercado?

Algumas gerações atrás, um diploma universitário era tudo o que se precisava para conquistar um bom emprego e seguir uma carreira de sucesso. No entanto, já faz alguns anos que a graduação é somente mais um — e não o último — degrau da vida acadêmica e profissional.

O mercado se ampliou e, para se destacar, é necessário continuar sempre aprendendo e se especializando. Na busca por opções de estudo, muitas pessoas acabam se confundindo e não sabem qual a diferença entre pós e MBA.

Neste post, vamos explicar essas diferenças, comparar os cursos de pós-graduação e MBA e ajudá-lo a escolher a melhor opção de acordo com seu perfil e suas expectativas profissionais e pessoais. Acompanhe!

Planejamento pessoal: saiba como e por que fazê-lo

Definir objetivos faz parte da vida humana. Mesmo que não perceba, você sempre está em busca de algo: um sonho, uma paixão, um ideal, uma nova visão. É esse comportamento que gera a motivação necessária para aproveitar o tempo presente e para construir um futuro condizente com aquilo que você almeja.

O planejamento pessoal é uma estratégia útil para guiar suas ações de maneira inteligente, sempre focando em caminhos que possam orientar com mais segurança e certeza as tomadas de decisão. As vantagens são tantas que muitas pessoas utilizam esse plano para construir uma carreira sólida.

Se você quer se tornar um profissional de destaque e atender às principais exigências do mercado de trabalho, pode aproveitar o planejamento pessoal como ponto de partida. Acompanhe os próximos tópicos e descubra como colocá-lo em prática!

Comunicação como ferramenta de gestão: qual é a importância?

Quem ocupa cargos de liderança — ou pretende alcançar esse objetivo no mercado de trabalho — precisa entender a importância da comunicação como ferramenta de gestão. Na verdade, mais do que uma ferramenta ou estratégia, ela é um dos principais fatores envolvidos no trabalho de um gestor.

A função de gestor não exige apenas conhecimento técnico, mas também habilidade de lidar com pessoas e harmonizar as equipes. Assim, um líder precisa, antes de tudo, ser capaz de se comunicar de maneira eficiente e empática. Isso permite maior integração com seus colaboradores e gera mais resultados para a empresa.

Então, que tal aprender a desenvolver ainda mais sua habilidade de dialogar? Confira as informações deste post e veja como colaborar para relacionamentos cada vez mais saudáveis e produtivos no ambiente corporativo!

Os 5 melhores cursos de MBA para você escolher

Após concluir a graduação e se estabilizar na carreira, muitos profissionais querem se desenvolver por meio dos melhores cursos de MBA. A especialização é uma das principais maneiras de ser reconhecido e está se tornando um pré-requisito para chegar até as posições de liderança nas empresas.

O Master in Business Administration (MBA) é uma modalidade de curso lato sensu, voltado para os setores administrativos e gerenciais. É ideal para quem tem menos tempo para se dedicar e quer estudar assuntos diretamente relacionados à sua área profissional.

Entretanto, esse não é o único benefício obtido com esse tipo de especialização. O curso permite que o aluno tenha um foco mais administrativo, aumentando o preparo para gerenciar negócios e atuar na coordenação de empresas ou setores específicos.

Continue a leitura e conheça os melhores cursos de MBA para investir nos próximos anos.

1. MBA em Gestão Empresarial

Disponível em Caxias do Sul, Santa Maria, Campo Grande e em Pelotas (Online), o MBA em Gestão Empresarial é um programa líder do CEEM FGV. O conteúdo do curso foi desenvolvido de acordo com as mais recentes demandas dos ambientes corporativos, propiciando uma visão holística da empresa.

Com uma variedade de conceitos e práticas, o programa visa formar profissionais e líderes empresariais que desejam alcançar cargos executivos. O objetivo é oferecer meios que permitam ao aluno uma maior eficiência na tomada de decisão, permitindo o desenvolvimento de uma visão estratégica.

O curso é destinado para profissionais que alcançaram certo ponto na carreira que os obriga a buscar novos níveis de formação acadêmica. Também é útil para aqueles que:

  • desejam se reciclar;

  • planejam obter funções executivas nas empresas nas quais trabalham, que demandam, além de experiência profissional, fortes conhecimentos de finanças, economia, gestão de pessoas e marketing;

  • visam desenvolver suas capacidades empreendedoras, por meio da direção de um novo negócio — próprio ou que seja programa da empresa.

2. MBA em Gestão: Pessoas e Liderança

Ter colaboradores motivados e satisfeitos impacta diretamente nos resultados de uma empresa. Por esse motivo, a área de gestão de pessoas é tão importante para as organizações. O MBA em Gestão: Pessoas e Liderança permite que o aluno desenvolva novas habilidades pessoais e interpessoais, facilitando o gerenciamento de pessoas e equipes.

O curso é oferecido em Caxias do Sul, Santa Maria e Campo Grande e é destinado para profissionais:

  • empenhados em ampliar suas competências relacionadas à coordenação de pessoas e equipes, visando o desenvolvimento contínuo da empresa;

  • que trabalham como gestores e querem aperfeiçoar sua carreira.

Ao final do programa, é possível compreender toda a ação de liderança e ampliar suas competências referentes à gestão de pessoas. Assim, você vai adquirir:

  • visão global das atividades corporativas;

  • autoconhecimento de habilidades comportamentais;

  • capacidade de identificar características que permitem formar equipes de alta performance;

  • habilidades técnicas para ser líder em seu próprio negócio ou em sua empresa;

  • olhar estratégico e habilidades de liderança.

3. MBA em Gestão: Finanças, Controladoria e Auditoria

Fazer o planejamento financeiro de uma empresa exige aptidões muito específicas. Oferecido em Caxias do Sul e Campo Grande, o MBA em Gestão: Finanças, Controladoria e Auditoria permite um entendimento abrangente das atividades empresariais, formando gestores líderes.

Ao final do curso, você vai alcançar:

  • visão holística da empresa, com foco na geração de valores;

  • habilidades e competências técnicas para tornar-se gestor líder em empresas ou negócios próprios;

  • habilidades na área de finanças, contabilidade gerencial e societária, permitindo alterar o plano estratégico da organização de forma tática e operacional.

O programa tem como público-alvo:

  • profissionais que desejam desenvolver competências decisórias nas áreas financeiras e contábeis, ampliando suas visões sistêmicas;

  • profissionais da área de Tecnologia de Informação, que trabalham com módulos financeiros ou contábeis e querem oferecer serviços melhores aos seus clientes.

4. MBA em Marketing: ênfase em vendas

Contar com um profissional de marketing competente para orientar e dar suporte à equipe de vendas é fundamental para o sucesso de uma empresa. Pensando nisso, o MBA em Marketing com ênfase em vendas visa capacitar profissionais estratégicos e qualificados para atender todas as demandas do mercado.

Ao se formar, você vai adquirir:

  • conhecimentos para executar ações estratégias em setores ligados a vendas;

  • capacidade de inovar e negociar, ordenando os processos e as estratégias da área de vendas às necessidades do mercado, gerando valor à empresa e aos clientes;

  • habilidades pessoais e interpessoais fundamentais para exercer a liderança da equipe de vendas;

  • visão estratégica para praticar novas abordagens em relação ao mercado.

O programa é recomendado para:

  • pessoas que querem aumentar seus conhecimentos na área de Gestão Comercial para maximizar os resultados das empresas de maneira sustentável;

  • profissionais gestores que desejam aperfeiçoar habilidades relacionadas à liderança de equipes, desenvolver um olhar mais estratégico e tomar melhores decisões relativas ao processo comercial.

5. MBA em Gestão: Agronegócios

O MBA em Gestão: Agronegócios ajuda a desenvolver uma visão ampla das atividades empresariais, com foco na geração de valor e na formação de gestores líderes. Para isso, é necessário compreender os aspectos que regem a coordenação de princípios do agronegócio, considerando as especificidades do meio.

O curso discute questões tributárias e trabalhistas específicas, como formação de preço, ferramentas de financiamento, gestão de custos e de riscos, assim como conceitos ambientais do agronegócio. Como público-alvo, temos:

  • pessoas que ocupam ou desejam ocupar cargos de gestão do agronegócio;

  • prestadores de serviços para o setor agropecuário;

  • profissionais que chegaram a um ponto da carreira em que são obrigados a buscar novos níveis de formação acadêmica.

O objetivo do programa é capacitar os participantes para a utilização de procedimentos empresariais modernos de organização, planejamento, avaliação e direção aplicadas ao agronegócio. Com isso, o profissional torna-se multidisciplinar e capaz de integrar equipes de alto nível.

Para fazer os melhores cursos de MBA, é necessário buscar uma instituição de reconhecimento internacional. Para isso, analise o quanto a escola de negócios foca em formar líderes inovadores e ligados ao cenário mundial. Ao final da especialização, você deve ser capaz de enfrentar as rápidas transformações pelas quais os meios de produção, a economia e a sociedade estão passando.

Quer cursar algum desses MBAs? Então, entre em contato com o CEEM e conheça nossos programas de excelência para o seu desenvolvimento profissional!

 

Conheça os impactos de se ter um pensamento crítico em suas decisões

Você provavelmente já ouviu falar em pensamento crítico. Esse termo está sendo cada vez mais discutido, seja no âmbito profissional, político e mesmo pessoal. Mas o que ele quer dizer e por que é importante desenvolver essa habilidade?

Se você ainda não tem as respostas para essas perguntas, não se preocupe. Nosso post veio exatamente para ajudar nisso! Entenda, de uma vez por todas, o que significa esse pensamento crítico que se tornou algo tão importante em seleções de emprego e também na área do empreendedorismo. Vamos lá?

O que é pensamento crítico?

Todos nós temos opiniões sobre as diversas situações que nos acontecem, certo? Frequentemente, pensamos uma série de coisas, seja sobre nossas relações de trabalho, os acontecimentos políticos do nosso país, nossa viagem de férias etc. Então, o que transforma um pensamento simples em algo crítico?

O termo pensamento crítico diz respeito a uma forma analítica de interpretar os contextos da nossa vida. Por exemplo, em um mundo cheio de informações como o nosso, é comum que as pessoas reproduzam notícias e opiniões de outros sem refletir, de fato, sobre elas. Essa é uma forma de pensar criticamente? Não.

Desenvolver um pensamento crítico é ser capaz de avaliar uma realidade de maneira global, conhecendo diversos pontos de vista sobre ela e filtrando as informações de forma a montar uma opinião independente sobre o assunto. Aí sim a pessoa não está apenas reproduzindo a opinião de outra, mas criando uma a partir dos dados que avaliou.

Ao saber do que se trata a habilidade, você já consegue imaginar por que é importante desenvolvê-la? O pensamento crítico libera você da manipulação de opiniões, além de oferecer maior eficiência na resolução de problemas. Afinal, quem consegue refletir de maneira mais profunda sobre algo está mais capacitado para encontrar soluções.

Quais são os impactos que ele causa na tomada de decisões?

Depois de explicar o conceito, fica fácil perceber a importância dele no processo de tomada de decisões, sejam pessoais ou profissionais. Quando fazemos escolhas ou resolvemos problemas focados apenas em um ponto de vista, o risco de tomar o caminho errado é grande. Já se isso for feito baseado em um pensamento crítico, existe muito mais segurança.

Uma das características do pensamento crítico é a visão analítica, ou seja, pessoas com essa capacidade conseguem analisar os problemas com mais profundidade, focando nas questões centrais e buscando soluções para elas. Assim, é possível encontrar saídas mesmo quando elas não estão aparentes.

Na prática, o pensamento crítico promove uma resolução de problemas com muito mais eficiência. Enquanto um profissional com essa habilidade pouco desenvolvida fica preso nos obstáculos, alguém que tem esse diferencial compreende o contexto de modo mais complexo e enxerga possibilidades.

Por fim, um grande impacto desse tipo de pensamento no processo de tomada de decisões é a maior firmeza no resultado encontrado. Afinal, quem se baseia em toda essa reflexão para atacar um problema sabe que está no caminho certo. Isso torna essa qualidade essencial para quem ocupa cargos de liderança ou gerencia o próprio negócio.

Como desenvolver o pensamento crítico?

Agora que você já sabe do que se trata e conheceu as vantagens de ter um pensamento crítico, é hora de aprender a aperfeiçoar essa habilidade no seu perfil profissional. Saiba que é possível — e até mesmo simples — desenvolver melhor as competências ligadas a ele. Veja a seguir como fazer isso:

Seja curioso

O primeiro passo é aumentar o seu interesse por tudo à sua volta. Ser uma pessoa curiosa ajuda a buscar mais informações, compreender melhor o mundo, ter contato com diversos pontos de vista e aprender muito mais. Em resumo, é uma característica essencial para quem busca o pensamento crítico.

Pense bem: se um problema aparece e você se limita a resolvê-lo da forma como já conhece, o que está aprendendo de novo com ele? Do contrário, se você tiver curiosidade para entender o que está por trás dessa dificuldade e pesquisar sobre maneiras diferentes de superá-la, aumentará muito o seu repertório de resolução de problemas.

Expanda seus horizontes

Outra forma de desenvolver o pensamento crítico é, sem dúvida, conhecer diferentes pontos de vista. Nós temos uma tendência a buscar o conforto dos que pensam de forma semelhante à nossa, mas essa é uma grande armadilha. Você sabia que pode encontrar soluções fora da sua zona de conforto?

Expandir os horizontes é conversar com pessoas distantes da sua área, ler conteúdos com os quais você não está acostumado, assistir palestras diversas e obter informações em meios que não são comuns na sua rotina. Tudo isso traz pontos de vistas diferentes que podem enriquecer muito a sua forma de ver as coisas.

Seja proativo

O volume de trabalho de um empreendedor não é pequeno. Com isso, é comum que muitos se vejam em uma posição de reagir aos problemas. Ou seja, o cotidiano dinâmico e cheio de tarefas muitas vezes dificulta o desenvolvimento da proatividade.

Entretanto, as constantes transformações do mercado de trabalho também exigem que o empreendedor possa se reinventar. Por isso, o pensamento crítico é essencial. Ele vai ajudar você a ir além dos problemas, procurando não só formas de solucioná-los, mas também de preveni-los e de gerar oportunidades a partir deles.

Desenvolva o equilíbrio mental e emocional

Engana-se quem pensa que aperfeiçoar o pensamento está apenas na racionalidade. Pelo contrário, as emoções têm um grande impacto sobre nossa forma de analisar o que vivemos. Por isso, o melhor caminho é buscar o equilíbrio.

Conhecer a sua maneira de reagir emocionalmente aos problemas é um importante passo para ser mais crítico e encontrar melhores soluções. Por exemplo, muitas pessoas enfrentam dificuldade para lidar com a pressão. É preciso se dar conta disso e buscar a inteligência emocional para poder desenvolver uma visão mais analítica.

Treine a análise de problemas

Por fim, é possível treinar sua mente para solucionar os problemas de modo mais eficiente. Uma das estratégias para isso é registrar seu processo de análise de uma situação (é muito útil fazer listas de soluções ou mapas mentais representando a situação).

Outra dica interessante é aproveitar o seu tempo livre para treinar a capacidade analítica. Que tal resolver desafios lógicos, fazer palavras cruzadas ou sudoku? Essas são opções divertidas para treinar o cérebro e despertá-lo para a resolução de problemas complexos.

O pensamento crítico é uma competência que pode ser desenvolvida com dedicação e paciência. Afinal, ele é uma qualidade considerada indispensável para os profissionais atualmente. Sem dúvida, vale a pena seguir nossas dicas!

E então, este post ajudou você a fortalecer sua carreira? Aproveite para assinar a newsletter do blog e acompanhar nossos conteúdos em primeira mão!

 

Você se considera multitarefas? Entenda por que isso pode prejudicá-lo

Ser multitarefas é visto constantemente como uma característica positiva, pois traz a sensação de cumprir mais afazeres em menos tempo. Mas será que, na prática, realmente é assim?

Na realidade, estudos mostram que realizar diversas tarefas pode comprometer a produtividade e a qualidade daquilo que está sendo feito.

Ao longo deste artigo, veremos em mais detalhes o que os especialistas alegam, assim como os resultados desses levantamentos. Portanto, continue acompanhando para entender como as multitarefas podem ser prejudiciais!