Ao longo dos anos muitas pesquisas foram realizadas, analisando os diferentes estilos de liderança. O objetivo desses estudos é disponibilizar conceitos que sirvam de direcionamento para os gestores das organizações. Cada estilo de liderança identificado possui características importantes que podem determinar o sucesso ou o fracasso de uma empresa, já que são os líderes que viabilizarão os resultados por meio dos liderados.

Portanto, um líder deve conhecer e identificar qual o seu estilo — seja autocrático, democrático ou liberal —, e entender como isso influência na sua gestão empresarial — e como pode se constituir em um diferencial competitivo. Acompanhe!

Liderança autocrática

A liderança autocrática é o estilo no qual o líder centraliza em si toda a autoridade e as decisões, não permitindo aos seus liderados nenhuma participação, autonomia, manifestação de opinião e nem liberdade de expressão. Ou seja, o líder é a autoridade máxima e absoluta a quem se deve obedecer e ponto.

Esse estilo de liderança é muito comum em algumas organizações, e o líder tem como características:

  • dominador;
  • autoritário;
  • centralizador;
  • sempre dá ordens e espera obediência cega sem questionamentos;
  • o grupo o teme e só trabalha quando o “chefe” está por perto.

As equipes de um líder autocrático, geralmente, apresentam um maior volume de atividades produzidas. No entanto, os níveis de tensão, ansiedade, agressividade e frustração são muito maiores, se comparado aos demais estilos — e isso implica em sérios problemas como desmotivação e, em longo prazo, improdutividade.

Liderança democrática

A liderança democrática, ao contrário da autocrática, é aquela em que o líder permite e incentiva a participação de todos os liderados na tomada de decisões, com sugestões, ideias e até críticas. Como o próprio nome sugere, o líder trabalha de forma democrática.

Esse estilo também é conhecido como liderança participativa ou consultiva. O líder assume uma posição de apoio, integrando-se à equipe e buscando promover o aperfeiçoamento das atividades e processos e, consequentemente, de toda a empresa.

Ele auxilia e direciona o time, tomando atitudes adequadas, propondo resoluções e definindo estratégias para os problemas encontrados. Contudo, o líder mantém a palavra final sobre assuntos importantes.

É um tipo de liderança que tem crescido bastante nos últimos tempos, uma vez que esse profissional se diferencia e apresenta as seguintes características:

  • interage bem com todos os membros da equipe;
  • incentiva e encoraja a participação dos liderados;
  • preocupa-se igualmente com o trabalho e com o grupo;
  • debate as ideias e sugestões antes de tomar decisões.

Com esse modelo de liderança, a comunicação interna melhora e se torna mais efetiva, aumentando a satisfação dos colaboradores e diminuindo a abstenção e a rotatividade. Além disso, um líder democrático incentiva os profissionais a colaborarem com soluções inovadoras e criativas para as adversidades vividas no ambiente empresarial.

Por outro lado, o processo decisório pode ser muito mais demorado, acarretando atrasos nos projetos de curto prazo. Outro ponto importante é que se deve considerar a maturidade da equipe, pois membros muito jovens, inexperientes, com excesso de liberdade podem não desempenhar as funções de maneira adequada, prejudicando os resultados.

Liderança liberal

A liderança liberal, por sua vez, é um estilo no qual o gestor deixa os colaboradores totalmente livres — ou seja, à vontade para exercerem suas funções e tomarem suas próprias decisões. Atua dessa forma por acreditar que o time já é maduro o suficiente e não necessita de constante supervisão, participando somente quando é solicitado.

Nesse tipo de liderança, a ênfase é na equipe que dispõe de autonomia total e poder de decisão, que podem ser tomadas com total liberdade — de maneira individual ou em grupo.

Por outro lado, faltam firmeza e poder de decisão ao dirigente, acarretando em uma liderança fraca, evasiva e negligente, em que erros e falhas passam despercebidos e, consequentemente, ficam sem correção. A falta de avaliação dos acontecimentos e de feedbacks faz com que o grupo se sinta desassistido e desmotivado.

Desse modo, os membros da equipe acabam se acomodando com tamanha liberdade, tendo dificuldades em desempenhar suas funções e realizar suas atividades. Deixam a desejar tanto na quantidade quanto na qualidade de trabalho. Assim, os colaboradores se dispersam facilmente e, em muitos casos, ignoram completamente o líder.

Quando usar cada estilo de liderança

Autocrática

Apesar de ser o mais comum, o estilo autocrático não deve ser usado no longo prazo. Ele é uma ótima alternativa para situações específicas — como crises, solução de problemas graves ou em caso de recuperação.

Atualmente, com a propagação de informações sobre assédio moral, poucas pessoas aceitam se submeter a esse tipo de comando e controle. Quando um líder sabe demonstrar confiança e autenticidade aos seus liderados, certamente não precisa fazer uso da autoridade.

Democrática

O estilo democrático, embora pareça ser o mais ideal, precisa ser usado com cuidado. Ao esperar a participação de todos em um processo decisório, o líder corre o risco de perder tempo em uma decisão estratégica e, ainda, burocratizar algo que deveria ser simples. Contudo, pode ser muito positivo se suas características forem combinadas com outros estilos — e se a democracia for utilizada de maneira que não impeça o progresso.

Liberal

Esse estilo de liderança pode até funcionar — isso se o líder tem uma equipe de especialistas com conhecimentos e habilidades para trabalhar de maneira independente. Nesse caso, pode ser extremamente eficiente para deixá-los mais motivados, dando mais autonomia para executarem suas atividades como for mais conveniente, demonstrando confiança em suas capacidades.

Habilidades de um líder de sucesso

Na prática, um bom líder sabe adotar mais de um estilo — a depender da ocasião —, considerando sempre quem são os liderados e quais são as atividades a serem executadas, entre outras variáveis.

Porém, para desempenhar qualquer estilo de liderança, um líder de excelência precisa dispor de outras características essenciais, como comunicação, bom relacionamento interpessoal, ousadia, criatividade, planejamento estratégico etc. Por isso, é fundamental desenvolver essas habilidades para liderar de forma mais eficiente.

Um bom líder é também aquele que sabe identificar e incentivar as competências dos seus colaboradores, fazendo com que eles se motivem e sejam desafiados todos os dias. Para ajudá-lo a se tornar um líder de sucesso, listamos algumas habilidades para você começar a praticar:

  • lidere pelo exemplo;
  • saiba se comunicar adequadamente com a sua equipe, criando um canal de comunicação no qual todos ouçam e sejam ouvidos;
  • identifique o perfil de cada um dos profissionais do seu time, para poder delegar responsabilidades da maneira correta;
  • desenvolva e aprimore as competências dos seus liderados, buscando sempre o melhor que cada profissional pode agregar;
  • proponha desafios e torne as atividades instigantes;
  • incentive a criatividade e a inovação;
  • saiba orientar seus colaboradores com feedbacks claros e objetivos (esteja também aberto para recebê-los);
  • busque criar um ambiente de trabalho favorável e adequado para o desenvolvimento das capacidades de cada integrante do grupo;
  • compartilhe conhecimentos e experiências, transmitindo e conquistando confiança;
  • seja responsável, otimista e positivo, sabendo gerenciar situações de estresse e crises, tanto emocional quanto relacionados aos processos de trabalho.

Conhecer suas próprias habilidades e estilos de liderança demonstra autoconhecimento e transmite confiança e credibilidade, além de ajudar nas ações que favorecem a sua equipe e a organização como um todo.

Agora que você já conhece os principais estilos de liderança, compartilhe este post nas redes sociais e mostre para os seus colegas de trabalho como um líder deve entender seu próprio estilo para engajar seus funcionários.

Escreva um comentário

Share This