Há pouco tempo, a palavra “administração” era a mais utilizada nas empresas e instituições de Ensino Superior. Mas, atualmente, a expressão “gestão empresarial” vem ganhando força. Então, você deve estar se perguntando: qual a diferença entre gestão empresarial e administração?

Apesar de a maioria das pessoas acreditar que são a mesma coisa, são termos que representam conceitos distintos. Estão massivamente presentes no universo corporativo, mas existem particularidades que os definem separadamente.

Antes de esclarecer as diferenças, devemos mostrar o que têm em comum. Basicamente, tratam da necessidade de motivar pessoas a gerir e administrar áreas de trabalho específicas ou toda a empresa. Ambos os conceitos são empregados no sentido de coordenar e orientar os colaboradores a atingirem seus resultados dentro de um cronograma predefinido.

O post de hoje visa esclarecer as diferenças entre gestão empresarial e administração em seus mínimos detalhes. Ainda não sabe a diferença? Então, acompanhe as explicações a seguir!

Administração

O ato de administrar engloba as ações de planejar, organizar, coordenar e controlar todos os recursos físicos, virtuais e intangíveis que estão à disposição da empresa. Isso inclui:

  • tempo;
  • capital humano;
  • capital financeiro;
  • materiais utilizados na produção;
  • equipamentos, softwares e dados;
  • água, energia, telefone, internet etc.

Podemos dizer que a administração é mais voltada para o âmbito técnico e estratégico, mantendo o foco principal nos processos. O famoso Jules Henri Fayol, fundador da Teoria Clássica da Administração, explica, em seus livros, que o administrador assume a responsabilidade direta por conduzir o negócio, tendo como objetivo mais importante o alcance das metas da empresa.

Nesse contexto, o profissional de administração deve identificar e aproveitar todas as vantagens para atender o propósito da organização de forma racional, fria e calculista.

Para entender melhor o que um administrador faz, listamos as principais funções desse profissional. São elas:

  • utiliza ferramentas e metodologias para analisar os pontos fortes e fracos da empresa, bem como as oportunidades, os riscos e as ameaças nos ambientes externo e interno;
  • planeja, organiza e coordena estratégias para o processo produtivo;
  • estabelece orçamentos com base nos registros históricos das operações financeiras;
  • busca por erros e falhas em processos e otimiza as estratégias;
  • mede resultados com a ajuda de indicadores de desempenho;
  • planeja, organiza e coordena o tempo e os espaços de trabalho;
  • estipula metas e objetivos com base em dados de pesquisa;
  • elabora, acompanha e se esforça para cumprir cronogramas;
  • trabalha com base nas políticas do negócio;
  • faz balanços financeiros;
  • delega tarefas.

Essas são as principais funções executadas por um administrador, mas pode haver muitas outras, dependendo do segmento em que a empresa atua. Com base nessas funções, é possível afirmar que o administrador ocupa as posições mais altas de uma empresa, hierarquicamente falando, buscando uma visão holística e a total compreensão do negócio.

Outro fator que diferencia a Administração da Gestão Empresarial é a grade disciplinar desses curso. A administração é a base da graduação e, por isso, exige conhecimentos mais amplos, estendendo a carga horária de formação e as disciplinas envolvidas.

A graduação em Administração é indicada para aqueles que desejam se tornar empreendedores e alcançar patamares mais altos no mundo corporativo, mantendo o foco nos objetivos financeiros e na qualidade dos produtos e serviços oferecidos ao mercado.

Gestão Empresarial

Agora que você já entendeu bem o conceito de Administração, é mais fácil compreender o que é Gestão Empresarial — e como essas áreas se diferenciam na prática.

A gestão de uma empresa representa um dos pilares da Administração. Gestores são os agentes responsáveis por garantir que a execução dos processos seja cumprida pelos colaboradores.

O gestor empresarial adota como princípio o ato de influenciar e motivar o envolvimento das pessoas com o negócio, dando a elas a liberdade que precisam para serem criativas, autônomas e capazes de assumir a responsabilidade por seus próprios resultados.

Basicamente, o foco da Gestão Empresarial é o gerenciamento de pessoas, processos e recursos, obedecendo às definições político-administrativos da companhia. Essa área tem como objetivo ajudar o empreendimento a alcançar suas metas e objetivos com a máxima eficiência — sem descuidar da valorização e do reconhecimento do fator humano no processo.

Em outras palavras, um gestor empresarial deve desenvolver a liderança para estimular a cooperação e o engajamento dos funcionários para alcançarem juntos os objetivos da organização, utilizando, da melhor forma possível, os recursos e estruturas disponíveis.

Para alcançar esse objetivo, o gestor precisa se envolver com todos os stakeholders (interessados no sucesso do negócio) para entender melhor as questões técnicas e administrativas da instituição. Isso inclui acompanhar os processos adotados e ser um profundo conhecedor do segmento de mercado em que a empresa está inserida.

Dessa forma, podemos dizer que o gestor tem uma atuação mais ampla do que um administrador, pois é mais participativo, envolvido com mais pessoas e responsável pela motivação das equipes para alcançar as metas estabelecidas — mas ocupa uma posição hierárquica mais baixa do que o administrador.

Isso porque ele tem a responsabilidade de colocar em prática tudo aquilo que os administradores determinaram para a empresa. Para esclarecer ainda mais as funções executadas por um profissional formado em Gestão Empresarial, listamos as principais:

  • reconhece e premia os colaboradores pelos seus esforços e resultados atingidos;
  • resolve conflitos entre profissionais internos e com clientes;
  • busca o aprimoramento das técnicas de produção;
  • estimula a proatividade dos colaboradores;
  • aplica treinamentos aos funcionários;
  • toma decisões pontuais.

Com relação à formação do profissional, a gestão empresarial é oferecida como curso de pós-graduação — ou como MBA (Master in Business Administration) — pelas universidades e instituições de ensino especializadas. Por ser mais específico, tem uma grade disciplinar reduzida e uma carga horária menor do que a graduação em Administração.

O curso de Gestão Empresarial é mais indicado para os profissionais que almejam novos desafios na carreira e desejam atingir maiores níveis de formação acadêmica, com o objetivo de ampliar e reciclar os conhecimentos e desenvolver uma capacidade empreendedora — além de ser recomendado para quem almeja uma promoção.

Agora que detalhamos as diferenças entre Gestão Empresarial e Administração, é possível concluir que são áreas complementares. Ou seja: a administração é feita com maior sucesso por um profissional formado também em Gestão Empresarial. Então, para se tornar um profissional mais completo e requisitado pelo mercado, fazer uma pós-graduação ou um MBA em gestão é um importante passo.

Gostou do conteúdo? Então, assine a nossa newsletter e receba em seu e-mail as novidades do blog!

Escreva um comentário

Share This