Caso os devidos cuidados não sejam tomados, aventurar-se pelo mundo do empreendedorismo pode ser um erro. Algumas pesquisas indicam que 6 em cada 10 empresas fecham antes de 5 anos. Mas, afinal, quais erros não cometer ao abrir um negócio?

Há uma diversidade de falhas que podem pôr fim a uma empresa, por exemplo, a falta de monitoramento dos indicadores-chave de desempenho, o pouco caixa para suportar períodos de recessão e a falta de conhecimento do empresário. Esses desafios podem (e devem) ser contornados, assim, fica mais fácil criar um negócio bem-sucedido.

Nós reunimos tudo o que precisa saber sobre o tema e alguns dos principais erros ao abrir um negócio. Portanto, continue a leitura dos próximos tópicos!

1. Navegar sem uma bússola

Boa parte das empresas que fecham nos primeiros anos não acompanham seus indicadores de desempenho. Ou seja, elas navegam sem uma bússola que indique os pontos críticos e como anda a saúde do negócio a tempo de corrigir a rota.

É preciso estabelecer um conjunto de indicadores que esteja alinhado aos objetivos do negócio. Se o objetivo é melhorar o desempenho econômico, por exemplo, o índice de liquidez, o percentual de lucratividade e o retorno sobre investimento (ROI) são essenciais.

A frequência de levantamento dos indicadores varia bastante, alguns devem ser mensurados mês a mês e outros só uma vez ao ano. Também é indicado compartilhá-los com o time de funcionários e adotar um modelo de gestão mais transparente.

Por fim, os indicadores podem ser usados para criar objetivos e metas desafiadores, baseados em números reais da empresa. Diferentes de outras metas — muitas criadas com base no palpite —, essas serão mais realistas e eficazes para a motivação do time.

2. Contentar-se com a boa experiência do cliente

Nos dias atuais, oferecer uma boa experiência de compra não é o suficiente para encantar e fidelizar o público-alvo; é preciso ir além. O cliente deve ser surpreendido em cada ponto de contato com um ótimo atendimento. Nada menos do que isso!

Infelizmente, muitos empresários deixam essa necessidade em segundo plano. Uma pesquisa da Accenture mostra que, só em 2015, 86% dos clientes migraram para a concorrência pelo mau atendimento, e as empresas perderam US$ 217 bilhões.

A dúvida é: como oferecer uma ótima experiência? Primeiro, é preciso conhecer o seu público-alvo. O que ele realmente quer? Depois, pode usar novas formas de marketing — como o marketing sensorial — para arquitetar experiências únicas e agradáveis.

Uma boa dica é mensurar a satisfação e lealdade dos clientes, o que pode ser feito com o indicador NPS (sigla para Net Promoter Score). Com uma única pergunta, ele permite classificar os clientes que são detratores, neutros ou promotores da empresa.

3. Empreender sem um plano sólido

O plano de negócios é uma ferramenta que pode ser usada antes ou depois de abrir a empresa. Quando antes, objetiva validar o modelo de negócios. Quando depois, tem por interesse conhecer a empresa ou levantar recursos para fomentar o crescimento.

Mas boa parte dos empreendedores não conta com um bom plano de negócios, portanto, deixa de antecipar eventuais ameaças e se torna mais vulnerável às crises. Então, como proceder? É preciso reservar um tempo com a equipe para planejar.

Se não possui know-how para criar um plano de negócios, é crucial fazer um bom curso de MBA e ficar por dentro do assunto. Também há a possibilidade de usar a ferramenta Business Model Canvas (BMC), que é um quadro de modelo de negócios.

De todo modo, o plano deve ser eficaz ao dia a dia, ou melhor, dotado de praticidade. Caso contrário, ele abrirá uma imensa lacuna entre a estratégia e a execução — sendo assim, pouco do que está no papel será posto em prática com a qualidade almejada.

4. Controlar o fluxo caixa de modo precário

O fluxo de caixa representa a relação de todo o dinheiro que entra e sai da empresa. Assim, é possível controlar as finanças, levantar indicadores, criar Demonstrativos de Resultado do Exercício (DRE) e realizar estimativas de ganhos e gastos para o futuro.

O problema é que muitos empresários deixam de controlar o fluxo de caixa ou fazem isso de modo precário, por exemplo, em planilhas no Excel. Isso abre espaço para prejuízos financeiros, inibe o monitoramento preciso e gera pouca competitividade.

Imagine a seguinte situação: o dono de uma empresa que não tem o controle do seu caixa e, no final do dia, não sabe quanto entrou ou saiu de dinheiro. Ele certamente está mais vulnerável e pode até ser prejudicado por um funcionário mal-intencionado.

Nesse caso, o mais indicado é contar com um software de monitoramento financeiro. Além de modernizar o controle do caixa, ele automatiza a geração de relatórios e melhora a administração das métricas de desempenho. Dessa maneira, todo o negócio ganha.

5. Investir pouco no desenvolvimento profissional

Outro grave erro ao abrir um negócio é deixar de investir em si mesmo e no seu crescimento. Mesmo ao empreender, é necessário continuar aprendendo sobre gestão e liderança, assim poderá atingir seus objetivos e gerenciar com eficácia a empresa.

Existem muitos cursos que podem ser feitos. Para quem já tem graduação, a pós-graduação ou MBA (sigla para Master in Business Administration) é uma ótima opção. Com metodologia prática, desenvolve pontos específicos do empresário para que ele possa pensar, agir e reagir de maneira diferente. De igual modo, há cursos de qualificação.

Sendo assim, o empresário estará apto para gerenciar os diversos recursos da empresa, assim como adequá-la à nova realidade do mercado (por exemplo, hoje se fala na quarta revolução industrial e nos seus efeitos). Também poderá liderar com excelência os subordinados e garantir a conquista de resultados fora da curva.

Muitos negócios fecham por falta de tato ao gerenciá-los, portanto, um bom curso pode ser um divisor de águas na vida do empresário e do seu negócio.

Enfim, agora você está por dentro do assunto. Observe os erros destacados e evite-os no dia a dia. Então, conte com bons indicadores-chave de desempenho, comprometa-se com a experiência do cliente, tenha um plano sólido, monitore seu fluxo de caixa e aprimore-se sempre com cursos de qualidade. Assim você certamente será grande!

Gostou do nosso artigo e está pronto para abrir um negócio de sucesso? Aproveite para entrar em contato conosco e descobrir a solução que temos para você!

Escreva um comentário

Share This