Definir objetivos faz parte da vida humana. Mesmo que não perceba, você sempre está em busca de algo: um sonho, uma paixão, um ideal, uma nova visão. É esse comportamento que gera a motivação necessária para aproveitar o tempo presente e para construir um futuro condizente com aquilo que você almeja.

O planejamento pessoal é uma estratégia útil para guiar suas ações de maneira inteligente, sempre focando em caminhos que possam orientar com mais segurança e certeza as tomadas de decisão. As vantagens são tantas que muitas pessoas utilizam esse plano para construir uma carreira sólida.

Se você quer se tornar um profissional de destaque e atender às principais exigências do mercado de trabalho, pode aproveitar o planejamento pessoal como ponto de partida. Acompanhe os próximos tópicos e descubra como colocá-lo em prática!

O que é planejamento pessoal?

Essa prática representa a maneira como as pessoas definem e estruturam seus objetivos, sejam eles simples ou complexos. Em resumo, é uma ferramenta que ajuda você a se organizar para cumprir tudo o que precisa, desde as obrigações diárias até planos com foco no futuro.

Do mesmo modo que outros tipos de planejamento, seu objetivo é otimizar o tempo disponível para que uma pessoa chegue aonde deseja. Porém, para que funcione e traga bons resultados, esse plano precisa conter os seguintes elementos:

  • metas — de curto, médio ou longo prazo;
  • estratégias variadas para atingir as metas;
  • recursos adequados — investimentos, conhecimento etc.;
  • prazos para a concretização de cada processo.

Perceba que essas definições são bem comuns dentro das empresas, afinal, permitem aos colaboradores crescer, chegar a novos patamares e prevenir riscos. Em muitas organizações, esse conjunto de ações é conhecido como planejamento estratégico.

Assim, da mesma forma que uma empresa se organiza para alcançar seus objetivos de mercado, um profissional também precisa traçar planos e encontrar propósitos. Estes podem variar em cada fase da vida, mas é importante tê-los bem definidos para não perder o foco.

Se você gerencia uma grande equipe e tem dificuldade para engajar os colaboradores, desenvolver a inteligência emocional no trabalho talvez deva entrar em seu planejamento pessoal. Ao dominar essa habilidade, saberá como lidar com diferentes perfis e poderá zelar pelas boas relações interpessoais.

Outro exemplo de objetivo que pode fazer parte desse plano é se tornar um líder exemplar. Há várias estratégias possíveis para atingir tal condição: mudar a postura perante os colaboradores, participar ativamente das atividades e buscar capacitação por meio de cursos, palestras e outras formações.

Enquanto algumas ações são fáceis de aplicar e podem ser executadas rapidamente, outras exigem tempo de preparo e diversas experimentações. É importante ter isso em mente para não se frustrar e aproveitar os resultados no momento certo. De qualquer forma, tudo fica mais fácil quando há um bom planejamento.

Por que você deve desenvolver um planejamento pessoal?

Ninguém precisa viver com base em regras que controlem cada passo, mas ter o mínimo de organização é fundamental. Se deixarmos que as coisas aconteçam de qualquer forma, sem preparo ou reflexão, corremos o risco de tomar decisões precipitadas — e muitas delas podem trazer prejuízos.

Por isso, é importante ter planejamento em qualquer atividade ou programa que você queira fazer, seja um simples encontro de lazer entre amigos ou uma reunião de negócios.

O mesmo vale para quem quer traçar novas metas para a vida profissional. Nesses casos, é preciso pensar nos benefícios e nas consequências de cada ação para evitar distrações e desvios no caminho.

Ainda procura bons motivos para colocar o planejamento pessoal em prática? Então, fique de olho nas suas principais vantagens a seguir:

Ter mais clareza sobre o rumo profissional

O conceito de carreira tem mudado bastante. Logo, o que é um diferencial para determinada pessoa pode não ser para outra. Essa transformação no modo de ver o trabalho também fez com que os profissionais passassem a valorizar o aprendizado contínuo.

Hoje, não há problema nenhum em admitir a falta de determinadas habilidades, nem em buscar uma recolocação profissional se houver necessidade. O mercado está muito dinâmico e exige pessoas dispostas a aprimorar competências e, assim, melhorar em vários aspectos.

Portanto, cabe a você definir os próximos passos da carreira com base em objetivos. Quer ser um profissional mais especialista ou generalista? Pretende ocupar um cargo de gerência? Precisa dominar uma nova ferramenta? Determine seus alvos e planeje-se para alcançá-los.

Obter sucesso profissional e realização pessoal

O planejamento pessoal permite que as pessoas estabeleçam o próprio conceito de sucesso enquanto definem metas de aprendizado e de crescimento. Isso acontece porque se baseia naquilo que você mais deseja para a carreira, bem como em estratégias e prazos necessários para transformar o objetivo em realidade.

Para muitas pessoas, ter sucesso profissional é ter a possibilidade de atingir a realização pessoal. Não é errado dizer que essas características estão relacionadas, visto que indivíduos que conseguem cargos de destaque ou que se identificam com a profissão escolhida tendem a ser mais satisfeitos e, portanto, felizes.

Manter o foco no que deseja alcançar

Planejar é uma ótima maneira de criar impulsos positivos que orientem a sua busca por novas conquistas. O incentivo já começa com a expectativa de alcançar os objetivos que você considera relevantes.

Dependendo do resultado (conquistado ou não), o sentimento pode ser de frustração ou de compensação. Para que o seu dia a dia seja composto por mais sentimentos positivos, ou seja, de alcance de metas, é fundamental organizar seus planos e encontrar formas de viabilizá-los.

Uma dica é categorizar os objetivos de acordo com a prioridade, a fim de dedicar esforços no que realmente importa em cada fase da vida. Dessa forma, fica mais fácil cumprir o que foi proposto e se manter firme no caminho.

Desenvolver a automotivação

Essa vantagem é consequência da anterior. Afinal, quando alguém tem clareza do que precisa em determinados momentos, dificilmente se abala com perdas e possíveis inconstâncias.

O planejamento pessoal não é algo fixo, rígido ou exato. Ou seja, ele permite que você faça ajustes na rota que leva aos seus objetivos. Ter essa possibilidade de alterar os planos conforme a necessidade é uma boa forma de manter a motivação.

Quando menos perceber, você estará retomando jornadas e tratando as dificuldades como desafios simples. Tudo para não estagnar na carreira e encontrar o seu lugar no mercado profissional.

Aumentar a produtividade

Planejar também significa determinar como você utilizará seus dias e horários. Ter períodos específicos para cada atividade — seja estudar, trabalhar ou relaxar — é essencial para se manter produtivo.

Procure organizar a rotina de modo a intercalar momentos relaxantes e momentos que exigem concentração. Seu cérebro precisa de diferentes estímulos, logo, mudar de contexto pode ajudá-lo a encontrar soluções para os desafios diários mais facilmente.

Quais são os passos para criar um planejamento pessoal?

Existem várias estratégias eficientes para construir o seu próprio planejamento. Esse processo começa pelo entendimento do seu perfil, passa pela identificação de metas e de oportunidades e pode envolver até mesmo uma capacitação profissional.

A seguir, apresentamos uma lista com uma série de ações que você pode tomar para dar início a um plano consistente. Confira:

Faça uma análise SWOT

Você realmente se conhece? A resposta parece óbvia, mas nem todas as pessoas fazem o exercício de avaliar questões internas e externas que determinam seus gostos, interesses, talentos e dificuldades.

Uma ferramenta incrível que pode ajudar nesse processo de autoconhecimento é a análise SWOT. A sigla vem do inglês e significa Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças).

A proposta é anotar essas categorias em um papel e, sobre cada uma, registrar pontos positivos e negativos que foram identificados. Veja um exemplo:

  • forças — representa as suas qualidades, ou seja, aquilo em que você é bom em fazer;
  • fraquezas — representa seus pontos fracos, ou seja, aquilo para o qual você não costuma levar jeito;
  • oportunidades — são coisas que você considera interessantes e que lhe fazem bem;
  • ameaças — são coisas que podem prejudicar a sua vida e o cumprimento de seus objetivos.

Cabe destacar que as forças e fraquezas compõem a análise interna. As primeiras servem como indicativo das possíveis carreiras (profissões, cargos etc.) em que você deve apostar; as últimas indicam os caminhos que você precisa evitar a todo custo na sua trajetória profissional.

Já as oportunidades e ameaças dizem respeito à análise externa. As primeiras mostram possíveis rumos que podem ser tomados com os objetivos e metas. As últimas apontam os cuidados que você deve ter ao longo do caminho.

Para cada ameaça, é interessante prever um “plano B” que permita solucionar o problema rapidamente. Esse cuidado fará com que você não perca muito tempo procurando saídas e mantenha o foco onde deseja estar.

Defina missões e valores

Pensou em grandes empresas ao ler essas palavras? Pois saiba que elas também devem fazer parte do seu planejamento pessoal.

Nesse caso, tenha em mente que a missão representa a sua razão de existir e será responsável por nortear a definição de seus objetivos. Alguns questionamentos podem contribuir para a formulação de uma missão. “O que eu quero ser?”, “Como farei isso?” e “Por que eu quero chegar a esse ponto?” são bons exemplos.

Os valores, por outro lado, são conjuntos de características que determinarão o modo como você enfrentará todas as questões que surgirem em sua vida. Por causa disso, é muito comum que estejam ligados à cultura, aos costumes e crenças de cada pessoa.

Exemplos de valores são: honestidade, justiça, ética, respeito, amor ao próximo e responsabilidade. A definição dos seus valores trará mais tranquilidade, lembrando quem você é e quais são os princípios que defende.

Estabeleça metas

Um erro cometido por quem não mantém o planejamento em dia é definir objetivos aleatórios compostos por metas inalcançáveis. Nessas situações, a chance de algo dar errado e a pessoa se frustrar é grande.

Portanto, é fundamental que seus objetivos sejam determinados de acordo com a sua missão de vida. Para cada objetivo, procure atribuir uma meta com prazo — lembre-se de que ela deve ser possível de alcançar, pois, do contrário, tenderá ao fracasso.

Uma maneira de facilitar esse processo é criar planilhas que permitam separar os objetivos por áreas específicas. Além de incluir assuntos relacionados à vida profissional, você pode registrar questões de saúde, lazer, família e finanças, por exemplo.

Como dito, o ideal é que as metas sejam divididas conforme o tempo necessário para a realização. Se o seu objetivo é investir na carreira de gestor, uma meta de curto prazo seria desenvolver habilidades próprias desse cargo.

Uma meta de médio prazo já envolveria algo mais específico, como a realização de um curso preparatório. Por fim, para a meta de longo prazo, você poderia determinar o início da atuação como gestor em um período limite de 36 meses, por exemplo.

Seja realista

Acreditar em si mesmo e ter uma visão otimista é essencial para conquistar objetivos, mas isso não significa que você deva ignorar a realidade. Para não desistir frente aos primeiros obstáculos, avalie o atual cenário com os pés no chão.

Ser realista é considerar seu estado, os recursos que possui e as dificuldades para encontrar uma situação possível de ser mudada. Essa atitude faz toda a diferença porque permite trabalhar com possibilidades tangíveis.

Se achar necessário, identifique pontos de melhoria e aja para que possíveis defeitos sejam eliminados ou, pelo menos, amenizados. Uma pessoa com forte tendência a procrastinar, por exemplo, deve encontrar formas de elevar seus níveis de foco e de comprometimento.

Aqueles que têm dificuldade para poupar antes de investir em um projeto, por outro lado, podem buscar materiais (livros, e-books, videoaulas etc.) com dicas de planejamento financeiro que se adaptem à própria realidade.

Conheça seus recursos

Essa informação pode ser muito útil para a construção e a manutenção do seu planejamento pessoal. Nem sempre é fácil reconhecer os recursos que temos à disposição, afinal, eles não se limitam apenas ao aspecto financeiro.

Uma pessoa que pretende comprar um imóvel, por exemplo, pode encontrar no fundo de garantia um auxílio para complementar o valor de entrada. Quem tem talento para administrar processos, por outro lado, consegue aproveitar essa habilidade para criar coragem e abrir um negócio.

O mesmo vale para um indivíduo que deseja ocupar uma vaga no emprego dos sonhos. Nesses casos, há a possibilidade de aproveitar a própria rede de contatos para obter indicações que chamem a atenção dos contratantes.

Perceba que os recursos podem ser coisas distintas, mas têm algo em comum: eles mantêm as pessoas mais próximas de seus objetivos. Logo, o que importa é descobrir maneiras de aplicar o que você tem ou sabe para garantir novas conquistas.

Trabalhe a motivação

Planejar é uma forma de se motivar, e manter-se motivado é essencial para cumprir todas as tarefas e obrigações do seu dia a dia. Uma vez que você para de se preocupar com pequenas falhas e de desistir na primeira tentativa, passa a trabalhar com determinação para alcançar seus objetivos.

Desenvolver a motivação é fundamental para não deixar que outras pessoas interfiram em seus planos e para evitar que imprevistos sabotem a sua caminhada. Quando você acredita em seu potencial, dificilmente permitirá que fatores externos o prejudiquem.

Uma pessoa motivada também inspira todos a seu redor. Isso é uma vantagem e tanto para líderes e profissionais que atuam em grupo, já que demonstra que têm confiança em seus colegas. A consequência de manter essa postura dentro de uma empresa pode se refletir na melhora do desempenho da equipe e no aumento da satisfação.

Anote seus avanços

Você tem dificuldades para acompanhar o desempenho de suas estratégias? Já pensou, por exemplo, em registrar as fases do seu planejamento pessoal? Essa prática é muito importante para verificar os avanços e identificar pontos de melhoria que podem ser aplicados nas próximas ações.

Para muitas pessoas, poder visualizar os resultados das metas, os prazos cumpridos e outros detalhes é bastante satisfatório. Inclusive, é uma forma de reconhecer seu trabalho ao longo do tempo, transformando esse processo em motivo de orgulho e em fonte de motivação.

Não importa o método, afinal, o registro pode ser feito em um caderno, agenda ou até mesmo no computador. A proposta é simplesmente manter as conquistas visíveis, como se fossem atestados da sua capacidade e esforço. Nada pode ser mais recompensador que isso.

Ter anotações à vista também permite enxergar quanto tempo falta para você alcançar o próximo objetivo. Se a caminhada der indícios de que será longa, a saída é buscar formas de acelerar alguns processos para desfrutar do resultado o quanto antes.

Aproveite as oportunidades

Como a própria análise SWOT aponta, é fundamental identificar oportunidades e filtrá-las de acordo com seus interesses e prioridades. Dessa forma, você consegue ter mais segurança na tomada de decisão que trará mudanças significativas para a sua vida profissional.

Quem busca uma mudança de carreira, por exemplo, pode se apoiar nos seguintes questionamentos antes de mergulhar em uma nova função:

  • Quais são as chances de crescer na empresa em que trabalho?
  • Tenho o perfil que a empresa busca e deseja investir?
  • O que me diferencia dos outros profissionais?
  • Estou preparado para empreender ou abrir o próprio negócio?
  • Estou disposto a enfrentar os desafios de uma nova carreira?

Com base nas respostas e no que deseja fazer, reflita sobre os lugares em que você poderia agregar valor e realizar um bom trabalho. Lembre-se de que as oportunidades devem estar alinhadas a essas questões para que possam ser aproveitadas ao máximo.

Por que fazer uma pós-graduação deve estar em seus planos?

Acumular conhecimentos e desenvolver novas habilidades é essencial para se manter atualizado e carregar o pacote de diferenciais exigidos pelo mercado. Para isso, muitas pessoas precisam ir além da graduação se quiserem se destacar.

Há uma série de alternativas para complementar os estudos. Entre uma variedade de treinamentos, cursos e workshops, a pós-graduação ganha notoriedade por alavancar a carreira e fazer com que o profissional seja bem-visto por recrutadores de diversas empresas.

Fazer um MBA ou especialização também pode acelerar a conquista dos objetivos definidos em seu planejamento pessoal. Conheça outros bons motivos para incluir esse tipo de preparo em seus planos:

Entrar para o grupo dos especialistas

Quem conclui uma pós-graduação se torna especialista na área escolhida, já que os conteúdos ministrados nesse tipo de curso vão além do que é ensinado na faculdade. Em pouco tempo, o profissional adquire aprendizados bem diferentes daqueles com os quais estava acostumado.

Contar com uma pós-graduação no currículo também permite que o seu perfil se destaque entre candidatos que competem por cargos mais cobiçados. Afinal, a especialização mostra que você sempre está em busca de melhorias, o que é um ponto positivo para assumir funções complexas ou que exigem experiência.

Obter novos conhecimentos mais rapidamente

Fazer uma pós-graduação é uma ótima maneira de reciclar conhecimentos e acompanhar as novidades da sua área. Trata-se de uma grande vantagem se considerarmos que praticamente todas as carreiras são impactadas por tendências e constantes mudanças tecnológicas.

Frente a esse cenário, quem permanece apenas com a graduação tende a ficar para trás quando o assunto é o domínio de novos conhecimentos. Por meio de uma especialização ou MBA, é possível aprender rapidamente e até buscar novos rumos em outras áreas.

Manter contato com outros profissionais

Outro benefício garantido para quem investe em uma pós-graduação é a oportunidade de fazer networking. Muitas pessoas estabelecem importantes contatos desde a graduação, mas essa rede pode ser ampliada e até mesmo renovada de tempos em tempos.

Por meio de uma especialização ou MBA, é possível conhecer profissionais que têm os mesmos interesses que você e até conviver com pessoas que ocupam posições de destaque no mercado de trabalho.

O resultado dessas relações pode vir na forma de excelentes oportunidades, como indicações para vagas de empregos e até ideias para a abertura de negócios — ambos exemplos de conquistas que ajudam a manter o planejamento pessoal em dia.

Ter a opção de mudar de carreira

Nem todo curso de pós-graduação exige que os ingressantes sejam formados em uma área específica. Isso traz vantagens para aqueles profissionais que querem ampliar horizontes ou mudar de carreira sem passar por uma nova graduação.

Cursar uma especialização ou MBA pode ser parte do processo de desenvolvimento profissional, principalmente para uma pessoa que ocupa um cargo que não têm relação com a área escolhida na faculdade. Dessa forma, é possível obter os conhecimentos necessários para executar as funções com maestria.

Esses foram os passos essenciais para colocar seu planejamento pessoal em prática. Lembre-se de buscar uma instituição de ensino moderna e com estrutura de qualidade para investir em sua pós-graduação e garantir um futuro de sucesso.

Gostou deste artigo? Aproveite para assinar a newsletter do CEEM FGV e acompanhar as próximas publicações em primeira mão!

Escreva um comentário

Share This