Você pode ter um currículo impecável, com uma formação sólida e boas experiências de trabalho. No entanto, esses fatores não são suficientes se você busca uma carreira de sucesso. É imprescindível que o profissional desenvolva também a inteligência emocional.

Muita gente torce o nariz para esse assunto, mas saiba que ter essa habilidade pode ser decisivo para o seu crescimento, seja qual for o ramo de atuação, já que vai contribuir para o desenvolvimento pessoal, aprendizado, tomada de decisão e também para um bom relacionamento com sua equipe e clientes.

Acompanhe nosso post, entenda o conceito de inteligência emocional, a influência para a carreira, bem como dicas para desenvolver essa habilidade!

O que é inteligência emocional?

Trata-se da capacidade de gerenciar a própria emoção e das pessoas com quem você convive. É não agir por impulso, ter empatia, se conhecer, aceitar feedbacks negativos e ter sabedoria para se afastar de situações desnecessárias, em que você sabe que tem mais chances de perder o controle.

As emoções são inerentes ao ser humano e, algumas vezes, são externalizadas de forma involuntária, prejudicando o convívio pessoal. Não saber como lidar com elas, ou seja, não desenvolver a inteligência emocional pode trazer prejuízos para sua saúde física e mental e, consequentemente, atrapalhar sua carreira.

Como ela influencia a sua carreira?

Quando se pensa em trabalho, na maioria das vezes, relacionamos ao nosso lado racional, ao conhecimento técnico-científico e ações concretas. No entanto, as questões subjetivas também fazem parte do meio corporativo, afinal estamos falando de um ambiente formado por pessoas.

Além disso, a rotina profissional é feita de desafios, prazos a cumprir, mudanças de planos e outros fatores de pressão e estresse que, caso não sejam bem administrados, podem levar a um esgotamento mental.

Por isso, é importante se conhecer e aprender a gerenciar as emoções, principalmente no trabalho. Dessa forma, fica mais fácil desenvolver projetos em equipe, liderar, desenvolver seus potenciais e até mesmo tomar decisões mais acertadas.

Profissionais com inteligência emocional são mais motivados e produtivos, além de serem vistos com bons olhos pelas empresas atualmente — já que essas atitudes colaboram para a harmonia no ambiente organizacional, melhorando os resultados da empresa.

Como desenvolver essa habilidade no meio corporativo?

Algumas pessoas têm essa habilidade nata e, até por isso, são admiradas pela boa convivência no meio corporativo. Mas, para muitos profissionais, a história é diferente e, por isso, a inteligência emocional deve ser desenvolvida.

Como fazer isso? Com algumas atitudes e mudanças de hábito, como apresentamos a seguir:

Analise seu perfil e comportamento

Quem você realmente é? Como se comporta? Como reage nas situações de extrema euforia ou quando é pego de surpresa? O primeiro passo para desenvolver a inteligência emocional é o autoconhecimento. Para isso, é necessário ter clareza da sua postura na vida pessoal e profissional, conhecer suas potencialidades e dificuldades e entender como você reage dependendo do contexto.

Quando você faz essa reflexão, consegue, por exemplo, antever algumas situações, o que vai ajudar a controlar suas emoções e dominar seus impulsos, melhorando seu relacionamento com os outros e também sua imagem profissional.

Desenvolva a autoconfiança

Pense na sua carreira e em tudo o que já conquistou. Liste os pontos que os outros profissionais admiram em você. Na rotina profissional, é importante desenvolver a autoconfiança, destacando seus pontos positivos e conquistas. Muitas pessoas põem tudo a perder por conta de uma opinião negativa e se esquecem de suas potencialidades.

A dica é ser autoconfiante e, assim, enxergar críticas como uma oportunidade de aprendizado. Quando você tem clareza do que é capaz, consegue enfrentar desafios e momentos ruins sem se abalar.

Seja empático

Um ponto importante da inteligência emocional é saber se colocar no lugar do outro. A empatia faz com que você consiga trabalhar com pessoas de diferentes perfis e também ajuda a identificar e reter talentos.

É importante saber ouvir diferentes pontos de vista, reconhecer que o trabalho se faz em equipe e que a participação e opinião de todos é fundamental.

A empatia é necessária também para os gestores administrarem da melhor forma os conflitos tão comuns no ambiente organizacional. É uma forma de você se tornar mais sensível para entender o problema alheio e pensar duas vezes antes de fazer julgamentos, por exemplo.

Seja transparente

Procure resolver todas as questões com sua equipe e outros gestores de forma franca. Estimular a comunicação no ambiente organizacional evita mal-entendidos e melhora a relação entre todos.

Na hora de delegar tarefas, por exemplo, seja claro com o colaborador e se mostre disponível caso ele fique com dúvida ou tenha alguma dificuldade.

Busque novos aprendizados

A inteligência emocional é um exercício constante, por isso é importante que o profissional esteja aberto para novos aprendizados — seja para se atualizar, aprimorar suas habilidades técnicas ou ainda fazer cursos voltados para o seu desenvolvimento pessoal.

Veja o lado bom das situações

Sabemos que a gestão empresarial é repleta de desafios e que exige decisões rápidas, principalmente nos piores cenários. Mas é justamente nesses momentos que a inteligência emocional é de grande valia, pois com ela você consegue enxergar além, buscando os aspectos positivos de uma situação ruim.

Pode ser uma oportunidade para desenvolver um novo produto ou ainda explorar um novo nicho de mercado, por exemplo. Ter essa postura otimista vai inspirar toda a equipe a buscar soluções criativas mesmo em momentos de crise.

Não se esqueça de você

A inteligência emocional tão necessária na rotina profissional também precisa ser trabalhada fora do escritório. É necessário que você tenha um estilo de vida saudável, invista nos momentos de lazer, pratique algum esporte e descanse.

Corpo e mente sadios, bem como o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, são fundamentais para o desenvolvimento dessa competência.

Trabalhe as emoções negativas

Somos seres humanos e sentimos raiva, culpa, medo, tristeza e insegurança, inclusive no trabalho. Quando você desenvolve a inteligência emocional consegue lidar melhor com essas emoções negativas.

Uma alternativa para aprender a trabalhar melhor com esses sentimentos ruins é criar um clima de positividade no ambiente profissional. Muitas pessoas têm como costume reclamar da vida a todo instante. Porém, quando param para pensar na carreira e naquilo que conquistaram, percebem que estão felizes.

Se houver algo a batalhar na sua vida profissional, corra atrás, apenas não alimente emoções negativas, como a frustração ou inveja de um colega, por não ter alcançado um cargo melhor no escritório.

Aprenda a lidar com a pressão

Um ambiente de negócios exige muito do profissional. São cobranças a todo instante, prazos a cumprir, rapidez na tomada de decisões, entre outros fatores. Portanto, é fundamental saber lidar com a pressão e controlar o estresse e ansiedade para entregar um bom trabalho e ter um relacionamento saudável com a equipe.

Em outras palavras, é necessário desenvolver a resiliência, que é a capacidade de enfrentar situações desfavoráveis e momentos de tensão sem se abater. A pessoa resiliente tem a visão crítica de que está trabalhando em um cenário ruim, mas não se descontrola diante disso.

É aquela cena em que você consegue respirar fundo antes de tomar alguma reação extrema, ou seja, sabe ter calma para pensar racionalmente na melhor solução para o momento.

Quando você aprende a desempenhar suas funções sob pressão, demonstra que tem equilíbrio emocional, o que é importante também para conseguir encarar os momentos de frustração, como uma venda promissora que não foi realizada, sem se desestabilizar.

Gerencie seu tempo

Para lidar melhor com tensão e ansiedade na rotina profissional, você pode adotar algumas estratégias, como aprender a gerenciar melhor seu tempo. A seguir, apresentamos algumas dicas de como fazer isso:

  • utilize uma agenda semanal para organizar melhor os compromissos;
  • defina prioridades;
  • saiba dizer “não” para outros colegas no momento em que eles querem gastar alguns minutos jogando conversa fora e você está com muitas tarefas urgentes;
  • confie no trabalho da sua equipe e delegue tarefas.

Não tenha vergonha de se expressar

Estamos falando muito sobre ter autocontrole, principalmente com as reações exageradas e emoções negativas, a fim de manter um clima organizacional harmônico. Contudo, somos seres humanos e é essencial “colocar para fora” o que você está sentindo.

É necessário se expressar, sem ter vergonha de assumir os sentimentos. Mas é preciso fazer isso sem se esquecer que você faz parte de um time, ou seja, você pode desabafar, mas de forma racional.

Por exemplo: após algum desentendimento com um colega, você demonstra que tem inteligência emocional quando o procura para explicar por que agiu daquela maneira, o que esperava do trabalho dele, entre outros pontos.

Conheça seus limites

Se você sabe que não está preparado para encarar algumas situações extremas, que vão exigir um equilíbrio emocional que você ainda não conquistou, reconheça seus limites e dê um passo para trás. O importante é você refletir sobre o motivo pelo qual tomou essa atitude e tomar medidas para melhorar, a fim de que isso não comprometa sua carreira.

Viu só como é importante modificar suas atitudes no ambiente corporativo para desenvolver a inteligência emocional? Essa habilidade vai ter um impacto positivo na sua qualidade de vida, além de ajudar você a conquistar mais rapidamente seus objetivos de carreira.

Você utiliza a inteligência emocional em sua rotina de trabalho? Gostou das informações que trouxemos neste post? Então compartilhe-as com seus amigos das redes sociais para que eles também coloquem em prática as nossas dicas!

Escreva um comentário

Share This