Por muito tempo, máquinas capazes de pensar, falar e resolver problemas eram apenas sonhos mirabolantes que só seriam reais em um futuro muito distante. Pois esse futuro chegou. Cada vez mais nos deparamos com sistemas de inteligência artificial nos negócios, afazeres cotidianos e até dentro das nossas casas.

No mundo corporativo, em especial, tal avanço vem trazendo resultados impressionantes. Apesar de as empresas ainda não terem aproveitado nem 10% do potencial dessa tecnologia, já é possível perceber mudanças significativas na maneira de fazer negócios e se relacionar com os clientes.

Pensando nisso, elaboramos um guia completo sobre a relação entre a inteligência artificial e as organizações. Você aprenderá tudo o que há de mais importante sobre o conceito, suas aplicações e impactos no dia a dia das empresas. Quer saber mais? Acompanhe o post!

O que é inteligência artificial?

Inteligência artificial (IA) é uma tecnologia que torna softwares capazes de simular o conhecimento humano de diversas maneiras. Com isso, máquinas podem tomar decisões, resolver problemas e até substituir pessoas na realização de algumas tarefas. No geral, sistemas de IA seguem quatro propriedades básicas:

  • aprendem continuamente a cada interação com novos dados;

  • compreendem diversos tipos de informação: textos, imagens, sons;

  • interagem em linguagem natural, ou seja, enxergam, falam, escutam;

  • conseguem interpretar ideias e elaborar hipóteses, isto é, raciocinam.

Na prática, a IA vem sendo usada para criar soluções que facilitam a vida das pessoas e reduzem a carga de tarefas operacionais. O antispam dos e-mails, que aprende sozinho a identificar quais mensagens devem ser eliminadas, é um bom exemplo. Os assistentes pessoais virtuais, que fazem pesquisas e executam tarefas por comando de voz, também estão entre os usos mais comuns dessa tecnologia.

Como a inteligência artificial virou tendência?

O termo inteligência artificial foi usado pela primeira vez em 1956, durante uma conferência realizada na Dartmouth College, em New Hampshire, Estados Unidos. Na ocasião, um grupo de cientistas apostou suas fichas na ideia de que dentro de alguns anos seriam criados sistemas capazes de simular o cérebro humano.

Desde então, as máquinas inteligentes povoam o nosso imaginário, tanto que foram retratadas pela cultura pop sob diversos pontos de vista. Em alguns filmes, como 2001: Uma Odisseia no Espaço, os autores criaram universos distópicos, nos quais as máquinas exercem controle sobre as pessoas. No enredo, a máquina Hal, criada para comandar a operação de uma nave espacial, desenvolve traços humanos e se volta contra eles em certos momentos.

Em outras obras, como Os Jetsons e De Volta para o Futuro, o assunto é tratado com mais leveza, muitas vezes tentando “adivinhar” quais tecnologias seriam comuns no futuro. Quem não se lembra da robô ajudante Rosie, ou do hoverboard usado por Marty McFly?

O interesse pela inteligência artificial não se resumiu apenas à ficção. Ao longo do tempo, foram criadas mais e mais formas de viabilizar a tecnologia, e hoje seu impacto é indiscutível e onipresente no nosso cotidiano. Isso se dá, principalmente, por meio de ferramentas de machine learning (máquinas que aprendem com base em dados).

Nos negócios, a IA é uma tendência que chegou para ficar, pois proporciona algo que toda empresa procura: agilidade e qualidade. Cloud computing, análise de dados, algoritmos… Tudo isso facilita operações e melhora sensivelmente os resultados dos negócios, fazendo com que a tecnologia se popularize cada vez mais entre as empresas.

Com a alta procura, a concorrência entre os fornecedores aumenta, e os preços das plataformas inteligentes se tornam mais acessíveis.

Quais são as principais vantagens do uso dessa ferramenta?

A inteligência artificial possibilitou a criação de softwares que trazem diversas vantagens para o funcionamento das empresas. Confira as principais a seguir:

Otimização de tarefas simples

Hoje, todas as gigantes da tecnologia têm entre seus produtos assistentes pessoais virtuais, como a Alexa, da Amazon; Siri, da Apple; Google Assistente e Cortana, da Microsoft. Instalados em dispositivos móveis, eles possuem uma voz com a qual o usuário pode conversar, fazer pesquisas e pedir recomendações de rotas de trânsito, entre outras tarefas.

Uma das funcionalidades mais úteis para executivos é o agendamento de reuniões. Com ela, o profissional consegue marcar encontros rapidamente, conferir o cronograma do dia, verificar locais e horários de compromissos e receber comunicados da empresa em seu smartphone ou tablet.

Agilidade e precisão na análise de dados

Sistemas avançados de IA, sobretudo os que envolvem machine learning, são capazes de captar, organizar e cruzar o grande volume de informações obtidos diariamente pelas empresas (Big Data). Dessa forma, é possível traçar estratégias úteis para o negócio com base em dados relevantes, como comportamento do consumidor e desempenho dos funcionários.

Entre as possibilidades oferecidas por esse tipo de ferramenta, podemos citar:

  • saber quem são os melhores clientes;

  • checar quais produtos ou serviços são mais populares;

  • checar quais produtos ou serviços devem sair de linha;

  • aumentar a eficiência do marketing;

  • personalizar o atendimento ao consumidor;

  • oferecer experiência inovadora aos clientes;

  • melhorar treinamentos;

  • otimizar recrutamento e seleção.

Computação na nuvem

Também foi por meio da IA que surgiu o conceito de cloud computing, ou computação na nuvem. A ideia consiste em armazenar arquivos em servidores online, sem a necessidade de instalar aplicativos ou ocupar espaço no HD do computador. A maior vantagem disso é a possibilidade de acessar documentos por meio de qualquer dispositivo móvel, desde que ele esteja conectado à internet.

Atualmente, mais de 80% das organizações brasileiras usam essa ferramenta, ou seja, trata-se de um método de trabalho amplamente difundido. A agilidade nos processos explica o sucesso: com a computação na nuvem, perde-se menos tempo com retrabalho, atualização de documentos e envio de arquivos por e-mail.

Outra vantagem do cloud computing é a segurança. A maioria dos sistemas trabalha com níveis de proteção, o que impede que dados sigilosos caiam nas mãos erradas. Assim, quando não houver necessidade de um colaborador acessar um tipo específico de informação, eles simplesmente não conseguirá fazê-lo.

Eficiência no atendimento ao cliente

A inteligência artificial nos negócios tornou o SAC mais moderno e automatizado. Antes, o telefone era o único canal de contato entre empresas e clientes. Agora, os diálogos podem acontecer via e-mail, redes sociais ou chats. Mas o maior avanço não é a mídia utilizada, e sim a forma como a conversa se estabelece.

Nos sistemas modernos, quem faz o primeiro contato é um robô. A inteligência artificial faz a triagem das solicitações e soluciona muitos dos problemas por conta própria. Isso reduz a carga operacional dos atendentes, que podem se concentrar em casos que realmente necessitam de intervenção humana.

O efeito para o consumidor também é extremamente positivo: esse modelo de atendimento reduz o tempo de espera e oferece respostas rápidas, tudo o que o cliente precisa para ficar plenamente satisfeito.

Como a inteligência artificial pode impactar nos meus resultados?

Com tantas vantagens, a inteligência artificial já está mudando a maneira de se fazer negócios. Considerando que o ser humano só aproveitou uma pequena parte do potencial dessa tecnologia, a tendência é que, daqui para a frente, as mudanças de paradigma sejam ainda mais intensas e aceleradas.

A inteligência artificial vem sendo aplicada de diversas formas em vários segmentos, como indústria, varejo, saúde, serviços jurídicos e contabilidade, entre outros. As atividades são diferentes entre si, mas o impacto da tecnologia é o mesmo: processos que antes levavam dias ou semanas passam a ser resolvidos em questão de segundos.

Além disso, as organizações conseguem reduzir custos e delegar aos seus colaboradores tarefas mais desafiadoras, criativas e que trazem mais retorno para o negócio. Ao deixar as atividades repetitivas a cargo das máquinas, as empresas usam o tempo dos trabalhadores de forma mais inteligente, o que contribui para aumentar a produtividade.

Que empresas famosas usam essa ferramenta?

Muitas grandes empresas no mercado já aproveitam ativamente os benefícios proporcionados pela inteligência artificial nos negócios. Veja a seguir alguns cases de sucesso.

Bradesco

Em 2017, o Bradesco implementou em suas agências a BIA (Bradesco Inteligência Artificial), usada pelos funcionários para tirar dúvidas dos clientes sobre os serviços do banco. Treinada em 62 produtos, a tecnologia responde a cerca de 300 mil perguntas mensais, com 95% de precisão. Com isso, o tempo de resposta é reduzido, o que aumenta a qualidade do atendimento.

Volkswagen

Em 2018, a Volkswagen lançou o Virtus, primeiro veículo com inteligência artificial integrada. O sistema conversa com o condutor sobre dados que constam no manual do proprietário e soluções para eventuais problemas. Quando o usuário sente dificuldade em expressar sua dúvida em palavras, pode tirar uma foto do painel, que será devidamente interpretada pelo app.

SKY

A operadora de TV e internet SKY implementou uma ferramenta de IA para coordenar as atividades de telecomunicações. O painel de controle cataloga e analisa mais de um milhão de alertas diários do sistema, com o intuito de identificar qualquer tipo de problema que possa afetar a qualidade da banda larga da empresa.

Fleury

O laboratório Fleury vem trabalhando em parceria com a IBM para implementar a solução Watson for Genomics no Brasil. A ferramenta fornece informações que auxiliam a tomada de decisões médicas nos hospitais e consultórios.

O sistema na nuvem pode, por exemplo, ajudar médicos a identificar remédios e ensaios clínicos relevantes, com base no genoma do indivíduo, pesquisas e dados extraídos da literatura médica.

Leroy Merlin

A varejista de materiais de construção deu um salto de qualidade no atendimento ao cliente com a LIA (Leroy Merlin Inteligência Artificial). O chatbot utiliza algoritmos e machine learning para responder automaticamente dúvidas sobre endereços de lojas, trocas de produtos, serviços e horários de funcionamento. Tudo o que não precisa de protocolo é resolvido pelo sistema, com agilidade e eficiência.

Banco Original

Em constante crescimento no mercado de contas digitais no Brasil, o Banco Original conta com a ORI, assistente pessoal e financeira capaz de se comunicar com seus clientes. A tecnologia foi criada para responder dúvidas sobre a conta bancária por meio de interações que utilizam a linguagem natural humana.

O usuário pode perguntar, por meio de texto ou voz, questões relativas aos seus gastos no cartão, cotações de moedas e solicitar ações como transferências e pagamentos. A solução ainda está em fase de testes, disponível para apenas uma parte dos clientes do banco.

Walmart

Nos Estados Unidos, a rede de varejo Walmart já utiliza a IA para vender seus produtos. Por meio de um assistente virtual integrado ao Google Home, a empresa possibilita aos seus clientes fazer compras apenas com comandos de voz. E não é só isso: conforme o robô analisa o histórico de compras, deixa de ser necessário apontar a marca ou modelo preferido. Basta dizer: “Google, compre um iogurte”, e assim será feito.

Lowe’s

Mesmo em lojas físicas, onde o contato humano é maior, a inteligência artificial pode ajudar no processo de compra. É o caso da empresa americana de materiais de construção Lowe’s. Quando o cliente chega ao ponto de venda, é recepcionado por um robô que indica a localização de cada produto.

As máquinas também fiscalizam as prateleiras para checar se os itens estão posicionados corretamente e ajudam os funcionários a fazer o inventário. Até agora, 11 unidades na região do Vale do Silício já contam com a tecnologia.

Macy’s

Outro exemplo de loja física que atua com a IA é a Macy’s. Na rede americana, os clientes podem pedir orientações sobre produtos por meio de um app que interage com linguagem natural. Dependendo do tom de voz, a tecnologia identifica se o consumidor está satisfeito ou inseguro com a compra e envia um atendente para auxiliá-lo na decisão.

Como aplicar inteligência artificial na minha organização?

Implementar a inteligência artificial nos negócios requer muito planejamento e conhecimento sobre o assunto. Veja a seguir os principais passos para ter sucesso na adoção da ferramenta.

Tenha objetivos claros

Cada empresa deve avaliar como a IA pode gerar valor para o seu negócio e, só então, começar a estruturar soluções com base na tecnologia. Sem objetivos claros, o investimento é pouco efetivo, trazendo apenas prejuízo financeiro para a organização.

Também é fundamental não criar expectativas excessivas. Quando se fala em inteligência artificial, muita gente pensa em softwares que podem fazer todo tipo de serviço. Realmente, a tecnologia entrega resultados nunca antes imaginados, mas existem algumas limitações. Tarefas que são simples para humanos, como dobrar roupas, podem ser inalcançáveis para uma máquina.

Portanto, conheça bem o potencial da IA e tenha ciência da complexidade envolvida na solução de problemas. Ao listar as necessidades da sua empresa, procure resolver uma por vez: ter foco ajudará a ser mais eficiente na elaboração de uma estratégia.

Para identificar os problemas corporativos que podem ser resolvidos com sistemas inteligentes, uma boa dica é perguntar: “em que setores há um grande volume de trabalho operacional que poderia ser otimizado?”. Esse é um ótimo ponto de partida para traçar metas reais e escolher as melhores ferramentas para o dia a dia do negócio.

Invista em Big Data

Os dados são o coração da inteligência artificial. Sem eles, por melhor que a tecnologia tenha sido desenvolvida, ela não alcançará seu pleno potencial. Portanto, é preciso alimentar os softwares com informações, o máximo que conseguir. Para fazer isso, investir em Big Data é essencial.

Essa técnica consiste em captar, organizar e cruzar todo o grande volume de informações produzidos por uma empresa no dia a dia. Inserindo essas informações nos sistemas de IA, é possível fazer com que eles aprendam cada vez mais e passem a executar tarefas por si só.

Por exemplo: para descobrir o que é um caminhão, um robô precisa ser exposto algumas vezes a diferentes modelos de caminhão. Com a repetição, ele aprenderá o conceito e poderá executar funções que façam uso desse conhecimento.

Envolva toda a empresa

A inteligência artificial deve ser parte de uma estratégia de transformação digital em toda a empresa, e não uma iniciativa isolada. Para isso, a empresa deve estimular o envolvimento de todos os colaboradores com a ferramenta, apresentando a eles os softwares, suas funcionalidades e vantagens que trazem para o negócio.

Como dito anteriormente, o valor da IA está diretamente ligado aos desafios individuais de cada organização, o que inclui todos os departamentos, não apenas o setor de TI. Para que a tecnologia funcione cada vez melhor, é de suma importância oferecer treinamento e refinamento constante para todos os funcionários.

Desenvolva as habilidades de negócio dos colaboradores

O conhecimento técnico sobre inteligência artificial é importante, mas sozinho não é capaz de trazer grandes resultados para a organização. Toda a equipe também precisa ter boas habilidades de negócios, para criar soluções cognitivas com base nas melhores práticas empresariais.

Por isso, é fundamental treinar os colaboradores para que tenham uma perspectiva ampla da estratégia da organização, não apenas uma visão focada apenas nas próprias atividades. Só assim surgirão ideias realmente relevantes para a implementação da IA.

Crie sinergia entre as equipes

Inteligência artificial nos negócios é sinônimo de colaboração e inovação. Soluções cognitivas exigem uma nova forma de pensar o relacionamento e atendimento aos clientes, o que envolve todos os departamentos da empresa.

Para um trabalho bem-sucedido, todas as áreas devem estar alinhadas. Isso inclui marketing, vendas, serviço ao cliente, cadeia de suprimentos, desenvolvimento de produtos e até setores administrativos, como RH, contabilidade e operações.

Por exemplo: o time de vendas é cheio de dados e insights sobre o comportamento do cliente, afinal, é o responsável por interagir com ele diariamente. Se o departamento de marketing puder aproveitar essas informações e usá-las em seus sistemas de automação, os resultados serão muito poderosos.

O mesmo acontece com o RH, que pode analisar informações sobre o histórico e indicadores de desempenho dos colaboradores para ajudar os demais departamentos na tomada de decisões. O próximo líder da sua empresa pode ser escolhido com a ajuda da inteligência artificial, algo que seria inimaginável alguns anos atrás.

Comece devagar, mas comece

Com o rápido avanço da IA no mercado, não há mais tempo para ficar apenas olhando. É preciso começar a investir na tecnologia o quanto antes, para não perder competitividade no mercado. Lembre-se: as máquinas inteligentes deixaram de ser ficção e se tornaram realidade, por isso é preciso se adaptar a esse novo cenário da melhor forma possível.

No entanto, mudanças muito radicais logo de início podem dificultar a implementação. Muitos executivos temem que o mundo cognitivo gere uma substituição brusca de ferramentas e processos que já estavam estabelecidos há muito tempo.

Não precisa ser assim: a melhor estratégia é começar aos poucos. Dessa maneira, é possível conhecer os benefícios da tecnologia enquanto se estuda formas de expansão.

Esteja ciente dos obstáculos

Como todo elemento disruptivo, implementar a inteligência artificial nos negócios incomoda, gera desconforto. Muitos profissionais mais tradicionais podem criar resistência ou não entender a necessidade de mudança. Além disso, falhas técnicas certamente surgirão, mas não devem ser motivo para abandonar a modernização. Afinal, é tudo questão de aprimoramento.

Quando todos na empresa conhecerem a fundo os sistemas de IA e se habituarem ao seu uso, será possível colher ótimos resultados em relação à capacidade de inovação e transformação da organização.

Monte uma equipe técnica de qualidade

Para aplicar a IA na sua empresa, ter uma equipe de TI de qualidade é indispensável. Os profissionais do setor devem ser atualizados e se interessar pelo assunto, para que possam sugerir ideias relevantes, desenvolver bons sistemas e se relacionar com fornecedores de igual para igual.

Sem isso, todos os esforços para integrar a equipe na transformação digital serão em vão. Portanto, trace uma estratégia junto ao RH para recrutar os profissionais mais qualificados do mercado e montar um time de excelência.

Chegamos ao fim do nosso guia sobre inteligência artificial nos negócios! Agora que você já está por dentro do assunto, que tal colocar tudo o que aprendeu em prática? Avalie as necessidades da empresa, estude bem as aplicações da tecnologia e mãos à obra! Assim, sua organização estará sempre atualizada e pronta para competir em alto nível no mercado.

Gostou do artigo? Para se aprofundar mais sobre estratégias de negócios, baixe já o nosso e-book Gestão Empresarial 3.0. Nele, você vai conhecer tudo sobre esse novo conceito e como ele pode alavancar os resultados da sua empresa. Não perca essa chance!

 

Escreva um comentário

Share This