Basicamente, um profissional de Marketing é treinado para incentivar a venda de produtos e serviços, analisar as oportunidades de mercado e entender como satisfazer o cliente, obtendo retorno para uma empresa, marca ou pessoa. Estudar marketing era uma tarefa mais simples, delegada a quem se aproximasse da Administração e da Comunicação e que se dispusesse a dialogar com os times de Vendas.

Contudo, o que era entendido como marketing há 5 anos, já não é o mesmo hoje, com as demandas atuais do mercado e com o advento de novas tecnologias. Então, quem se formou nesse período e não procurou as devidas atualizações, já ficou para trás.

Se você se interessa pela área e está em busca de respostas sobre como se preparar para o futuro, este guia pode ajudá-lo! Acompanhe o que nós preparamos a seguir!

O que é esperado do profissional de marketing hoje?

Uma pesquisada McKinley Marketing Partners aponta que os profissionais de marketing com destreza no ambiente digital — especialmente aqueles que dialogam com a publicidade online e com a criação de conteúdos para a web — são os mais requisitados pelas empresas hoje.

Segundo a pesquisa da companhia — feita entre novembro e dezembro de 2016 — 56% das empresas desejam profissionais com habilidades em Marketing Digital, sem especificar quais seriam as funções mais desejáveis. No questionário, que considerava mais de uma opção, 35% das empresas também apontaram como muito desejáveis os serviços criativos. Capacidade de análise e de pesquisa foi uma habilidade almejada por 25% das empresas.

As novas tecnologias aplicadas à área do marketing criaram uma demanda por profissionais mais analíticos e atentos às dinâmicas do mercado. É preciso ser proativo, curioso, dominar outros idiomas, ser comunicativo e estar aberto às novidades. Tudo isso sem desconsiderar a experiência e a leitura de autores tradicionais, como Philip Kotler.

Aqui, vale uma ressalva: não só o marketing tem sido modificado pelos avanços tecnológicos. Diversos cargos passaram — e ainda passam — por transformações significativas. Aqueles que não se dispuserem a entender as implicações dos novos dispositivos e tecnologias nas nossas rotinas ficarão para trás.

Embora isso pareça assustador, é importante considerar que a demanda por profissionais renovados pode levar à troca de conhecimentos entre diferentes setores, enriquecendo as experiências educacionais, conforme contamos a seguir.

Resiliência e vontade de aprender

Nas últimas décadas, o marketing passou por grandes alterações, especialmente com a disseminação da tecnologia e as consequentes mudanças no comportamento do consumidor. Reflexos da tão falada transformação digital!

Se antes as pessoas aprendiam sobre suas necessidades em comerciais que interrompiam a novela — ou pelo noticiário —, hoje elas procuram entender os próprios problemas com a ajuda de influenciadores digitais ou em tópicos de fóruns e postagens nas redes sociais. Ganhamos acesso a uma grande variedade de pontos de vista e opiniões — e as empresas que não responderem os consumidores no momento certo podem perder negócios.

Nesse cenário, destacam-se o inbound marketing (abordagem que atrai novos consumidores por meio dos interesses que eles apresentam) e o marketing de conteúdo — uma das ferramentas aplicadas pelo inbound marketing para atrair compradores em potencial com conteúdos de qualidade, para engajar e fazer crescer a base de clientes.

Pessoas conhecidas por serem teimosas não costumam se dar bem nessa área. Isso porque muitos conhecimentos tidos como irrefutáveis podem ser desconstruídos rapidamente. Daí a importância da resiliência, e da vontade de compreender as novidades e adaptá-las para o contexto da empresa em que atua. No marketing, tudo pode mudar a qualquer momento. É melhor estar preparado para ouvir seus colegas mais novos, sem abandonar a experiência de quem já está nesta trilha há anos!

Ter experiências em outras áreas

É desejável que o profissional de marketing tenha experiência em outras áreas, atuando como um integrador. Afinal, os conhecimentos obtidos e requisitados pelo marketing perpassam os mais diversos setores de uma empresa. É preciso, portanto, que o profissional consiga dialogar com diferentes times para alinhar os processos da organização.

Habilidades em gestão

Em boa parte das empresas, os profissionais iniciam no setor de marketing como analistas ou assistentes. Em seguida, eles se tornam gerentes de marca ou de produto, passando pelos níveis júnior, pleno e sênior. Além disso, eles podem ser promovidos como gerentes e até mesmo alcançar um cargo na diretoria.

Embora a habilidade de gestão de pessoas não seja um pré-requisito, é importante ter uma capacidade aguçada no âmbito dos relacionamentos interpessoais. Se você tem interesse pelo envolvimento das pessoas com os negócios, garantindo que os processos sejam executados pelos colaboradores com o devido reconhecimento, pode ser que você se interesse por um curso de Gestão Empresarial.

Personalização de serviços

O novo profissional de marketing precisa entender o consumidor em um nível pessoal, considerando que a publicidade e o marketing dependem fortemente de relacionamentos interpessoais dentro e fora do local de trabalho.

A nova cara do marketing sabe usar experiências pessoais, hobbies e interesses para criar conteúdos personalizados, conectando-se com o público graças à utilização de uma linguagem coerente com aqueles que se relacionam com a marca. Também por causa das redes sociais, o público se aproxima das empresas, enxergando-as como pessoas.

Conhecimentos em automação

A automação permite otimizar processos que facilitam a estruturação de campanhas de e-mail marketing, nutrição de leads (potenciais clientes) e organização de dados. Isso leva a inovação para os mais diversos âmbitos, automatizando a análise de dados e o atendimento — e abrindo caminho para um marketing mais personalizado.

Não é preciso ser um gênio da computação para se destacar no mercado. Contudo, é importante saber utilizar as principais ferramentas tecnológicas, abrindo mais espaço para a estratégia em sua rotina.

Integração com os times de vendas

Graças ao advento do inbound marketing, as equipes do setor também passaram a desempenhar outros papéis na aquisição de novos clientes, influenciando os resultados dos times de vendas. Tendências como o Vendarketing conquistam cada vez mais adeptos, mas como isso funciona na prática?

Quando os setores de marketing e vendas operam como um time só, as empresas aprimoram o processo de aquisição de clientes, trazendo melhorias em métricas de desempenho relevantes e reduzindo os ciclos de vendas. Por consequência, os custos são reduzidos.

Se o comportamento dos clientes ganhou tanto dinamismo, tornou-se ainda mais relevante acompanhá-los e abordá-los sob diferentes perspectivas. Para isso, o time de Marketing deve compreender a jornada do cliente de maneira apurada, desenvolvendo os conteúdos certos para cada estágio do funil de vendas.

Já os vendedores têm uma visão próxima das necessidades dos clientes. Para ajudá-los, os profissionais de marketing podem trocar conhecimentos sobre o que diagnosticaram acerca das necessidades, prioridades e objeções do público. Combinando as habilidades, é possível ter uma compreensão mais ampla sobre os requisitos necessários para efetivar uma venda.

No estágio inicial, por exemplo, os clientes ainda estão em fase de descoberta, conscientizando-se sobre qual problema precisam enfrentar. Fechar vendas nessa etapa costuma levar a desistências e gastos desnecessários. Por isso, nesse momento, é melhor deixá-los aos cuidados da equipe de marketing, que fornecerá informações relevantes para o usuário. Vender para alguém que tem certeza do que quer — e sabe como determinada solução pode ajudar — é muito mais fácil do que gastar tempo tentando convencer um indeciso, não é verdade?

Vale lembrar, ainda, que não basta identificar os leads. É preciso assegurar que o contato está realmente interessado no produto ou no serviço oferecido pela empresa. Para isso, o time de vendas pode orientar o Marketing na elaboração de conteúdos ainda mais ricos — e na identificação de expectativas. Assim, o trabalho dos profissionais de Marketing ficará mais fluido e os vendedores poderão encontrar leads mais qualificados.

E do futuro?

Em um setor dinâmico como o Marketing, prever demandas pode ser um tanto complicado. Porém, identificando algumas tendências de comportamento — e em tecnologia —, é possível entender o que algumas organizações vão requisitar dos profissionais em alguns anos. Confira!

Empreendedores que agem de dentro para fora

O intraempreendedorismo é aquele que ocorre dentro das empresas. Nessas corporações, os colaboradores com capacidades para inovar são incentivados na criação de novos projetos, ganhando uma liberdade maior para errar — e auxiliar o desenvolvimento dos colegas.

Personalização nas interações com o consumidor

A personalização permite que sua marca aprimore a interação com o consumidor, reconhecendo melhor o comportamento dos usuários e antecipando os fatores mais influentes durante o processo de vendas.

Algumas das empresas que mais utilizam os recursos de personalização são a Netflix e o Spotify. Elas reconhecem os padrões pessoais dos consumidores e oferecem produtos e serviços de acordo com as informações obtidas.

Conhecimentos básicos em computação

O desenvolvimento de ferramentas de relacionamento e de estrutura de dados exige que o profissional tenha conhecimentos básicos sobre computação. No marketing, os colaboradores precisam saber como organizar as informações que estão sendo criadas, para que os analistas de dados possam processá-las.

Mesmo que não atue no desenvolvimento de softwares e aplicativos, é preciso saber como dialogar com uma equipe de programadores, cooperando com a inovação em sua empresa. Por isso, é necessário ganhar ainda mais intimidade com as tecnologias, utilizando-as como plataformas diárias.

Gerenciar a carreira como freelancer

Se o conceito de trabalho tradicional pouco se encaixa no contexto de crise econômica — e com os ideais das novas gerações —, a carreira de freelancer tem se tornado cada vez mais atraente. Afinal, os jovens buscam por maior flexibilidade para estudar e tocar projetos pessoais.

Se, antes, a limitação de cobertura da internet poderia causar empecilhos para o trabalho desses profissionais, algumas empresas, como o Google, apostam em projetos de inteligência artificial para universalizar o acesso à internet. O Projeto Loon, por exemplo, traz uma rede de balões que estendem a conectividade às pessoas que estão em áreas rurais e remotas. Para se dar bem como freelancer, é preciso ter um controle rigoroso sobre as finanças e sobre os horários de trabalho, além de uma boa capacidade para formar e alimentar a rede de contatos.

Capacitação para lidar com Big Data

Todos os dias, inúmeros dados são gerados. Reações nas redes sociais, deslocamentos registrados nos smartphones, informações de compra e diversas outras ações são armazenadas nos bancos de dados. Por isso, especialistas afirmam que o Big Data é um dos bens mais valiosos da contemporaneidade.

O profissional de marketing do futuro saberá utilizar esse recurso para analisar o comportamento do consumidor e obter insights interessantes para a comunicação da empresa. Usar o Google Analytics de maneira inteligente é apenas o primeiro passo! Com tantos dados sendo criados, os profissionais que souberem usá-los com sabedoria vão se destacar.

Atualmente, as empresas procuram por pessoas que saibam realizar testes A/B e conduzir o processo de tomada de decisões com base em uma análise criteriosa de dados. Com isso, os investimentos são realizados de forma mais acertada.

Machine Learning

Graças aos algoritmos que permitem o aprendizado da máquina, é possível automatizar processos, melhorando o tempo e o volume de respostas. Durante a última edição do evento Think with Google, a companhia mostrou como está usando essa tecnologia para combinar os objetivos do negócio com o comportamento de navegação dos usuários. Assim, ela obtém dados para conversar com cada consumidor de uma maneira customizada.

A maioria das empresas usa cerca de 3 critérios para a extração de dados em plataformas como o AdWords: palavras-chave, localização e hora do dia. Com o Machine Learning, será possível usar centenas de critérios para entender o comportamento dos consumidores e entregar o anúncio certo para a pessoa certa.

Como se preparar para esse cenário?

Além de buscar cursos de curta e longa duração, é preciso frequentar os eventos ligados ao setor. Felizmente, a maioria deles possui entrada gratuita ou acessível, e a troca de experiências nessas ocasiões pode levar a parcerias profissionais sólidas. Veja mais dicas a seguir!

Saber se comunicar

Antes de tudo, um profissional de Marketing deve se comunicar bem. Ele tem de entender quais são as melhores formas de transmitir as mensagens para os clientes, para os colaboradores e para os parceiros da empresa. Daí a importância de estar sempre acompanhando as novidades do mercado: uma determinada campanha pode exigir que ele vá além dos meios de comunicação tradicionais e explore as mais novas tecnologias para atingir determinado público.

Com planejamento, criatividade, capacidade de diálogo e de análise de dados, um profissional de marketing aprimora a eficiência de uma mensagem, identificando o consumidor, satisfazendo-o e tornando-o fiel.

Fazer uma pós-graduação ou MBA?

Depende da formação acadêmica que você deseja. Em qualquer instituição ou segmento, o MBA deve oferecer um conteúdo básico sobre marketing, finanças, administração, operações e projeto. Um Master in Business Administration, como o nome aponta, oferece uma base sólida em administração com ênfase em alguma área específica, como Saúde ou Recursos Humanos. Já uma pós-graduação em Administração, por exemplo, é mais abrangente e voltada para qualquer pessoa que busca atualização (não precisa estar inserido no mercado).

O MBA é mais indicado para um momento posterior da carreira — para profissionais já atuantes no mercado. Assim, é possível atualizar os conhecimentos e renovar a rede de contatos. Esse é o percurso mais indicado para quem deseja trilhar pelo marketing.

Uma pós ou MBA no exterior também são boas alternativas para quem deseja aumentar o repertório e discutir conceitos de uma maneira diferenciada. Veja mais dicas em nosso post especial sobre o assunto!

Como escolher um curso de MBA?

Um curso de MBA traz uma série de diferenciais para a vida do profissional. Contudo, para que esse momento seja produtivo, é preciso levar em consideração uma série de aspectos, conforme mostramos a seguir:

Verifique a grade horária

Confira a disponibilidade das aulas e veja se o curso se adapta à sua rotina. Observe também o tempo de duração. Um MBA deve ter, no mínimo, 360 horas. Lembre-se de contabilizar todas as horas necessárias para o estudo e separe um tempo para a elaboração do trabalho final de curso.

Observe a qualificação do corpo docente

Hoje, é fácil fazer uma breve pesquisa sobre a qualificação dos professores responsáveis pelas disciplinas do curso de MBA. Além de conferir os trabalhos publicados por eles — pesquisando no Google e na plataforma Lattes —, você também pode pedir a opinião de ex-alunos.

Considere a reputação da instituição

Avalie a reputação do estabelecimento de ensino. Verifique os comentários a respeito da instituição, e busque avaliações de acordo com os requisitos que você considera primordiais para a sua formação. Aqui também vale conversar com pessoas que já estudaram no local.

Pesquise sobre a posição da instituição em relação aos seus objetivos

Verifique se o curso se alinha aos seus objetivos profissionais. Procure entender a história da instituição e como ela dialoga com seus planos para carreira. Uma boa dica, para isso, é buscar indicações de profissionais que você admira.

Além disso, leia a ementa e o programa do curso e tire as suas dúvidas entrando em contato com a instituição, que poderá responder a todos os seus questionamentos. Para escolher um bom MBA, é preciso, acima de tudo, ter a certeza de que o diploma vai agregar valor ao seu currículo.

Experiência vs. formação: o que o mercado espera?

Ambos. Um bom profissional não se forma apenas dentro da academia — e aqueles que contam apenas com a experiência precisam se esforçar mais para provar o seu valor no mercado, especialmente em empresas compostas por gestores mais conservadores. Embora os conhecimentos informais sejam valorizados, ainda é necessário investir em qualificação para ser promovido.

Independentemente de optar por uma pós-graduação lato ou stricto sensu, tenha a ciência de que essas especializações fazem uma diferença real no mercado, pois elas possibilitam fazer novos contatos e descobrir outros direcionamentos para a carreira.

Onde estudar marketing?

Hoje, felizmente, há muitas ofertas para quem deseja estudar marketing e apresentar novidades para um mercado sedento por respostas. Veja algumas opções a seguir!

MBA em Marketing com ênfase em Vendas

Esse MBA em Marketing oferece um programa inovador para os participantes, trazendo a aplicação prática de uma série de conceitos e técnicas sobre o Marketing no âmbito da gestão empresarial. Para isso, o aluno contará com experiências de empresas e instituições de ensino brasileiras e internacionais. Esse curso se destina a alunos provenientes das mais diversas áreas e que desejam adquirir conhecimentos sobre técnicas de Marketing e Vendas para assumir cargos de gestão.

A carga horária total é de 432 horas/aula, e o curso está sob a coordenação do professor Luis Carlos Sá, economista, Mestre em Administração de Empresas pela HEC School of Management (França), com passagem pela London Business School (LBS). O professor Luis também é Mestre em Planejamento Organizacional pela FGV-EBAPE.

Módulo Internacional UC Irvine Extension

A parceria entre a FGV e a Universidade da Califórnia – Irvine (UCI) nasceu em 2002, e tem como objetivo ampliar os conceitos e conhecimentos de Negócios e Gerenciamento obtidos durante o curso MBA Executivo da Fundação Getúlio Vargas.

A UC Irvine, pertencente ao complexo educacional da Universidade da Califórnia, é um centro de excelência, tendo se notabilizado em 1995 por 2 prêmios Nobel: Frederick Reines (física) e Sherwood Rowland (química).

O programa inclui estudos de crescimento, inovação, Lean Six Sigma, macroeconomia, estratégias de negociação, gestão de projetos e visitas técnicas. Durante 15 dias, os alunos têm oportunidade de ver esses conteúdos em inglês, com opção de ouvir a tradução simultânea para o português.

Para participar, os alunos precisam ter certificado de conclusão ou cursar o MBA Executivo da FGV Management.

MBA em Gestão: Pessoas e Liderança (Caxias do Sul e Campo Grande)

Voltado para profissionais que desejam desenvolver competência para gestão e liderança, esse MBA pretende aprimorar habilidades pessoais e interpessoais. Preparando os alunos para aumentar a eficiência como gestores, o curso demonstra que a gestão de pessoas é um fator decisivo para as empresas alcançarem níveis de excelência.

A carga horária é de 432 horas/aula, e o programa está sob coordenação da Professora Denize Athayde Dutra da Costa, Mestre em Administração Pública pela EBAPE – FGV.

No futuro, o marketing se aproximará ainda mais das tecnologias, utilizando uma base maior de dados para tomar decisões, mas sem deixar de lado a criatividade. Mais próximos do empreendedorismo, os profissionais com habilidades para vendas e com boas habilidades de gestão serão os mais valorizados pelo mercado.

Nesse cenário, as atividades dos profissionais de marketing exigem constante atualização e cursos diversos, como pós-graduação, cursos de curta duração e MBAs, podem dar insights mais profundos sobre essa área. Além disso, as instituições de ensino são ótimos locais para aprimorar a rede de contatos e realizar boas parcerias. Ser criativo e saber ouvir são habilidades essenciais, mas também é importante ter conhecimentos formais sobre gestão e tecnologia para dialogar com um mercado exigente.

Se você quer se manter atualizado e alcançar bons cargos nas empresas, assine a nossa newsletter e receba as novidades dos conteúdos do blog diretamente em sua caixa de entrada!

Escreva um comentário

Share This