O agronegócio no Brasil tem uma importante participação na economia. O setor contribuiu, em 2017, com 23,5% do Produto Interno Bruto (PIB), e é responsável por 37% dos empregos no país. Diversos estudos mostram as tendências do mercado do agronegócio, com projeções de produção, consumo, importação e exportação.

O crescimento populacional, as mudanças climáticas, as restrições de recursos naturais, entre outros fatores, contribuem para a busca de uma agricultura sustentável. Agricultores e pecuaristas já implementam várias ações para reduzir as emissões de gases poluentes, com o apoio do governo e a utilização de técnicas agrícolas que não prejudicam a produtividade e a rentabilidade.

Para se destacar nesse cenário, não basta ter dados sobre a produção e as tendências sem realizar uma avaliação criteriosa deles. Para isso, tecnologia e profissionais capacitados são essenciais, pois são eles que auxiliam o produtor rural a tomar as melhores decisões.

Neste artigo, vamos apresentar as oportunidades que o mercado do agronegócio pode oferecer e mostrar a importância de ter uma educação qualificada na área. Boa leitura!

O crescimento populacional e o agronegócio

O crescimento populacional e as mudanças climáticas conduzem as transformações que estão acontecendo na área da produção de alimentos. Sendo assim, é necessário criar um sistema alimentar sustentável que aumente a produtividade e a eficiência, ao mesmo tempo que reduz a emissão de poluentes.

O setor já entende que é necessário se concentrar no combate ao desperdício, com o desenvolvimento de uma cadeia de abastecimento mais inteligente, já que cerca de um terço da produção de alimentos para consumo humano é desperdiçada ou perdida no sistema de distribuição global.

Além de transformar a maneira como usamos os alimentos e entregar um produto de qualidade para o consumidor final, o agronegócio encontra desafios também em questões relacionadas a água e energia. Por isso, os profissionais da área devem ser capazes de produzir, cuidar e renovar em um ecossistema equilibrado.

Desafios da agricultura que geram oportunidades de atuação

O agronegócio deixou de ter foco apenas na produção de alimentos para se ramificar em múltiplas atividades. Reconhecer essa versatilidade e encarar os obstáculos como oportunidades de crescimento é o que vai fazer a diferença no futuro.

A seguir, conheça algumas adversidades do mercado do agronegócio que podem se transformar em oportunidades com uma atuação estratégica.

Mudanças climáticas

O uso de ferramentas tecnológicas é essencial para acompanhar a instabilidade do clima e evitar perdas nas lavouras. Saber que vai haver um período prolongado de seca ou uma geada é fundamental no cenário atual. Nesse caso, serviços de agricultura de precisão e meteorologia são pontos-chave para o produtor não ficar dependente das adversidades climáticas.

Estresses hídricos

A irrigação agrícola é o setor que mais utiliza recursos hídricos no Brasil, consumindo 46,2% de toda água retirada para uso no país. Por ser indispensável para a manutenção das lavouras, é fundamental que o produtor contribua para a prevenção da crise hídrica.

Além do uso consciente da água, existe a opção de fazer sistemas de plantio direto, que permitem uma maior infiltração de água no solo e reabastecem o lençol freático.

Energia

A produção de energia é um setor com grandes oportunidades e que precisa de atenção. As possibilidades vão desde a obtenção de energias limpas, como a biomassa, até a produção de biocombustíveis.

Nutrição e saúde

Diante do problema da obesidade e da subnutrição, a alimentação como forma de prevenir doenças também é uma pauta importante. Nesse sentido, o setor agropecuário deve investir na produção e incentivar o consumo de alimentos saudáveis e de qualidade.

Mão de obra no campo

Hoje, o Brasil lida com a necessidade de mecanizar as lavouras e com a falta de mão de obra no campo. Por esses motivos, é importante tornar o ofício rural atraente para o trabalhador e capacitá-lo para exercer funções técnicas.

O mercado de trabalho no agronegócio

O mercado do agronegócio é amplo e inclui profissionais de diversas áreas de atuação. Os cargos variam de técnicos até os de conhecimentos específicos, entre eles:

  • administração rural — função de planejar, coordenar e organizar propriedades rurais de diferentes portes, cuidando dos custos da produção, do contato com clientes e fornecedores, e da gestão de pessoas;
  • consultoria — atividade de prestação de assistência a órgãos públicos e privados no setor de controle do agronegócio, estabelecendo estratégias de produção e realizando estudos de aproveitamento de alimentos e solo;
  • cultivo e produção — cargo para cuidar do manejo de animais e plantações em fazendas;
  • planejamento de produção — atuação em conjunto com o agrônomo para definir os tipos e como será a plantação em cada safra, além de calcular custos e preço final dos produtos;
  • desenvolvimento de produtos — tarefa de criar sementes, defensivos, insumos e outros itens que visam otimizar a produção;
  • vendas — trabalho em grandes indústrias com a venda de insumos e equipamentos ao setor agropecuário.

Como o setor do agronegócio está a cada ano mais forte e em evidência, o mercado de trabalho na área está em alta. O nível de profissionalização também tende a aumentar até nas atividades mais técnicas, e a rotatividade nos cargos de maior exigência de conhecimento é menor.

Nas fazendas, os profissionais que atuam nas atividades agrícolas são agrônomos, engenheiros, biólogos, veterinários, entre outros. Do lado de fora, na parte burocrática das etapas de produção e comercialização, é possível encontrar economistas, advogados, administradores e engenheiros.

A necessidade da capacitação no mercado do agronegócio

A capacitação é essencial para promover a evolução do agronegócio. Não adianta ter os equipamentos mais modernos e as melhores soluções em tecnologia se os usuários não sabem aproveitar todo seu potencial. Nesse sentido, a principal forma de agregar valor ao negócio é pelo desenvolvimento do capital humano.

A atualização constante permite aprender e adaptar inovações ao negócio. Além disso, cargos mais altos exigem características como gestão, liderança e visão estratégica, que podem ser desenvolvidas em um MBA em Gestão de Agronegócios.

Nesse MBA, você desenvolverá uma visão estratégica e holística das atividades empresariais, com foco na geração de valor e na formação de gestores líderes. O curso aborda pontos trabalhistas e tributários específicos, como ferramentas de formação de preço e gestão de riscos e custos, sem perder os aspectos ambientais do agronegócio.

A constante necessidade de otimização da produção de alimentos faz com que o mercado do agronegócio esteja em crescente expansão. Isso resulta em novas tecnologias que demandam profissionais preparados, capazes de realizar pesquisas nos mais diversos setores, sem deixar a preservação ambiental de lado.

Gostou deste artigo? Então, assine a nossa newsletter para acompanhar outros assuntos como esse e receber as novidades do CEEM diretamente no seu e-mail!

Escreva um comentário

Share This