“Se você não sabe aonde quer chegar, qualquer caminho serve” — essa é a primeira lição do Gato de Cheshire para Alice, quando a menina está no País das Maravilhas. E essa é também uma das lições de Lewis Carroll para a vida de todos nós. Se você não sabe que tipo de vida deseja ter e onde se enxerga no futuro, qualquer coisa vai servir.

Porém, se você possui uma imagem do que deseja alcançar, fazer um planejamento de vida é fundamental para unir as duas pontas: de onde você está até sua meta final. E para ajudá-lo nesse quesito, elaboramos este post.

Se você quer saber a importância de traçar esse caminho e como fazer isso, basta continuar conosco até o fim do artigo. Boa leitura!

O papel do planejamento

Todas as pessoas desejam ser bem-sucedidas. O problema é que a definição de “sucesso” costuma ser subjetiva e varia muito de um sujeito para o outro. Se, para você, essa palavra pode ser sinônimo de estabilidade financeira, ascensão profissional e a perspectiva de uma aposentadoria tranquila, para outros pode ser sinônimo de estabilizar a pequena empresa e ter dinheiro suficiente apenas para acompanhar o crescimento dos filhos.

Isso faz com que todos os caminhos sejam possíveis. Então, tudo depende de onde você quer chegar e, por isso, o planejamento estratégico pessoal é tão importante. Esse será o seu grande plano, que funcionará mais ou menos como um mapa de navegação, para você ter maior clareza ao fazer as escolhas e não dar tiros no escuro.

É claro que não é possível controlar todos os fatores — e a vida conta com muitas imprevisibilidades. Portanto, é possível (e até provável) que você não consiga cumprir à risca todos os pontos do seu planejamento, principalmente se ele for de longo prazo. Afinal, em 10 ou 15 anos, muitas coisas mudam.

Mesmo assim, é importante ter um ponto de partida. Ainda que os planos mudem, que os prazos sejam outros e até que todos os objetivos virem de cabeça para baixo, fazer alterações em cima de uma ideia já formulada é muito mais fácil do que saber o que fazer em uma situação na qual você já está perdido.

A importância do plano de carreira

Nós vivemos em uma sociedade na qual o trabalho constitui uma parte muito importante da vida. Para algumas pessoas, é simplesmente a dimensão mais importante. Independentemente do seu perfil, o plano de carreira é o que vai possibilitar que você alcance os seus objetivos profissionais.

Se a sua grande meta é, por exemplo, tornar-se um gestor, você deve elaborar seu plano de carreira com esse alvo em mente. Dessa forma, diante das escolhas que deverá fazer durante a vida, poderá se perguntar: esta opção me aproxima ou me afasta do meu sonhado posto como gestor?

O planejamento da vida profissional garante maior satisfação no trabalho, pois você terá a oportunidade de estar onde deseja, realizando as atividades que acredita serem as melhores para você. Isso aumenta os níveis de motivação e até melhoram a sua performance. O resultado é um desempenho positivo no trabalho, levando a um maior desenvolvimento.

É importante, ainda, que o seu plano de carreira esteja alinhado com o seu plano de vida — aliás, o ideal é que o primeiro seja parte do segundo. Não adianta, por exemplo, você estabelecer que deseja tornar-se gestor nos próximos cinco anos, se também tem o sonho de fazer um mestrado no exterior.

Um bom plano de carreira permite conciliar a sua vida profissional com a vida pessoal, encaixando as diversas dimensões — como um quebra-cabeças, que forma uma imagem maior e mais complexa. Todas as peças se completam, permitindo que você tenha uma experiência total, agregadora e engrandecedora.

Como traçar um percurso profissional

Antigamente, o plano de carreira costumava ficar a cargo das empresas, que já tinham todos os caminhos traçados para os diferentes tipos de profissionais, de acordo com a área em que cada um atuava. Hoje em dia, a responsabilidade de determinar o percurso é do próprio profissional — e, muitas vezes, a trajetória não é realizada toda dentro de uma mesma organização.

Veja algumas dicas de como estabelecer seu plano:

Defina bem seus objetivos e suas metas

Não nos cansamos de frisar que o mais importante para você iniciar o seu planejamento de vida e de carreira é saber aonde quer chegar. Você deseja se tornar gestor? Quer aumentar seu salário em 50% nos próximos três anos? Deseja ter um cargo na direção de alguma empresa?

Depois de definido esse objetivo, é importante traçar as metas intermediárias — os passos para chegar até lá. Faça uma projeção realista dos cenários possíveis e defina seu plano de ação. Além disso, tente colocar uma noção de prazo para as coisas acontecerem.

Identifique suas limitações

Depois de colocar o plano no papel, é hora de fazer uma autoanálise. Quais são os seus pontos fracos? Quais são as suas limitações? Que habilidades você precisa desenvolver e quais conhecimentos deve adquirir para conquistar o seu “prêmio final”?

O estudo de si dá a oportunidade de fortalecer os seus pontos fracos e cobrir as lacunas da sua formação profissional, mas também é uma das ferramentas que levam ao autoconhecimento — outro aspecto fundamental para o sucesso profissional.

Invista no seu desenvolvimento

Você já fez as projeções para os próximos anos da sua vida e já identificou os pontos a serem melhorados para conseguir realizá-las. O próximo passo é colocar a mão na massa. Busque cursos nos quais possa aprender os conhecimentos que ainda faltam e também experiências nas quais tenha a oportunidade de desenvolver habilidades que estão além dos livros.

Tudo bem se os cursos e as vivências não estiverem relacionados diretamente ao mundo empresarial. Aderindo a um programa de voluntariado, por exemplo, você pode aprender muito mais sobre empatia do que em um workshop de design thinking. Pense fora da caixa para enxergar o verdadeiro potencial das coisas.

Monitore o plano

Nenhum planejamento é estático. Os contextos mudam, as necessidades mudam, a vida muda — nós mudamos a todo momento. Por isso, é fundamental rever o seu planejamento de carreira periodicamente. Veja quais pontos você conseguiu cumprir, quais ficaram para trás e se há a necessidade de ajustes.

A educação no planejamento de vida

Você já deve ter percebido que essa jornada de elaborar o planejamento de vida é uma viagem para dentro de si. Trata-se, sobretudo, de entender quem você é, o que o faz feliz e ser protagonista da própria vida. E a educação é uma das principais portas para isso, em muitos sentidos.

É de conhecimento geral que, hoje em dia, só a graduação não é suficiente para garantir uma formação completa. Por isso, é muito importante pensar em complementar seus estudos com um MBA ou uma pós-graduação, para ter uma visão mais aprofundada e atualizada do contexto em que você quer atuar.

Cursos livres e novas formações também são excelentes maneiras de preencher as lacunas do seu desenvolvimento profissional e ampliar ainda mais o seu autoconhecimento.

Gostou da nossa visão sobre o planejamento de vida e de carreira? Então siga-nos nas redes sociais e acompanhe outros conteúdos interessantes! Estamos no Facebook, LinkedIn, Twitter e YouTube.

Escreva um comentário

Share This