Como melhorar o salário e ser mais reconhecido em uma empresa? Muitas pessoas diriam que é necessário crescer na hierarquia da organização para alcançar um cargo de prestígio, como o de gerente. Essa lógica, porém, mudou com o surgimento da carreira em Y, cujo foco é valorizar aqueles que possuem habilidades mais técnicas do que gerenciais.

Em todo empreendimento há aquele funcionário com muito conhecimento técnico, mas que não se destaca como gestor. Por isso, muitas empresas começaram a oferecer melhores salários também para esses colaboradores com alto nível de know-how e experiência.

Neste post, você vai conhecer aspectos marcantes da carreira em Y e obter informações valiosas sobre a carreira em W. Confira!

Saiba como funciona a carreira em Y

Imagine que você não se considere pronto para liderar uma equipe, mas quer ter uma remuneração mais atraente. Para reter talentos e obter resultados expressivos, algumas organizações passaram a adotar um modelo de evolução profissional diferente do sistema linear.

Hoje, muitas empresas não exigem que seus funcionários passem pelos cargos de gestão para alcançar um salário elevado e um lugar de destaque. Em vez disso, elas possuem um plano de cargos e salários que incentiva a especialização em áreas de muita importância estratégica para a instituição.

De olho nessa tendência, as companhias têm investido em cursos de pós-graduação, MBA, mestrado — e até doutorado — para os colaboradores. Assim, é possível motivá-los a utilizar todo esse conhecimento teórico para buscar soluções para a empresa.

Apesar do nome, esse modelo de carreira não tem relação com a Geração Y. A letra do alfabeto, nesse caso, é usada para ilustrar o caminho — linear no início da trajetória — que se bifurca em determinado momento, indicando a possibilidade de escolha entre especialização técnica ou gestão.

Se você quer saber mais sobre a carreira em Y, veja informações sobre o perfil dos trabalhadores — além das vantagens e as desvantagens desse caminho de desenvolvimento profissional.

Perfil

Quem prefere seguir carreira como especialista — em vez de gestor —, deve gostar de desenvolver projetos e pesquisas que unem conhecimento teórico com habilidades práticas.

Veja a seguir algumas das principais características que esse profissional deve possuir:

  • visão inovadora;
  • espírito de liderança, mas sem realizar a gestão de pessoas;
  • motivação para resolver demandas com alto grau de complexidade;
  • autonomia para desenvolver ações nos projetos;
  • foco em resultados.

Vantagens

O profissional e a empresa obtêm benefícios ao adotar a carreira em Y. Para os funcionários, as vantagens mais importantes são:

  • poder utilizar todo o seu potencial técnico;
  • ser valorizado pela qualidade técnica, tendo mais motivação no trabalho;
  • incentivo para a aquisição de conhecimento, aspecto importante para a evolução técnica e salarial;
  • estar em um ambiente de trabalho em que é possível desenvolver atividades mais direcionadas ao seu perfil.

Em relação às companhias, os principais benefícios são:

  • melhorar a imagem junto aos empregados, proporcionando oportunidades de crescimento para um maior número de colaboradores;
  • aumentar a possibilidade de reter talentos, evitando ao máximo a rotatividade de profissionais altamente qualificados;
  • fazer com que os funcionários com grandes habilidades teóricas e técnicas sejam mais produtivos;
  • incentivar os empregados a priorizar o autodesenvolvimento e a busca pela melhoria constante.

Desvantagens

Nem tudo são flores em relação à carreira em Y. Por isso, alguns aspectos negativos podem ser mencionados:

  • dificuldade de encontrar funcionários dispostos a exercer um cargo gerencial;
  • riscos de distanciamento entre os colaboradores especialistas e os demais, o que pode prejudicar a comunicação e os resultados;
  • problemas na formação de novos gestores com grande capacidade técnica;
  • maior chance de atritos entre os gerentes e especialistas, caso a organização não tenha uma hierarquia bem definida nas ações.

Conheça a carreira em W

Imagine agora um especialista reconhecido em sua área de atuação e no local de trabalho. Sem dúvida, é uma razão para se sentir valorizado. No entanto, esse trabalhador deseja evoluir ainda mais e agregar novas competências ao seu currículo.

Caso você se identifique com esse perfil, é interessante investir na carreira em W. Nela, os profissionais tecnicamente capacitados são muito aproveitados, mas também são incentivados a adquirir uma visão mais abrangente do negócio.

Ou seja, é necessário ter um conhecimento multidisciplinar para participar de projetos que envolvem vários setores. Hoje, algumas empresas estão utilizando esse modelo de trabalho — que é focado na colaboração contínua para gerar um desempenho mais expressivo.

Será que é válido apostar em uma carreira em W? Com certeza. Quem adota essa iniciativa — e se qualifica em diferentes áreas — tem mais oportunidades de emprego e mais chances de crescer profissionalmente — principalmente em empresas voltadas para a inovação, que apresentam uma estrutura de trabalho horizontal.

Por exemplo, um empregado se mostrou um excelente técnico e passa a ser responsável por gerenciar uma equipe. Se ele deseja alcançar bons resultados, precisará ter um bom conhecimento em gestão de pessoas. Afinal, os colaboradores são essenciais para a performance de qualquer instituição.

O contrário também é possível. Um funcionário é um bom gestor, porém não possui conhecimentos técnicos. Esse fator faz com que ele tenha dificuldades de estipular os procedimentos necessários para a resolução de demandas com eficiência e agilidade, afetando a produtividade e as vendas.

Confira as vantagens da carreira em W

Ao investir nesse modelo de carreira e reunir competências técnicas e gerenciais em prol da organização, um profissional estará apto para:

  • assumir novas funções na empresa;
  • aumentar o nível de empregabilidade;
  • exercer o papel de liderança com mais autoridade;
  • obter maior satisfação com o trabalho e com os resultados alcançados.

Mas a carreira em W também exige um maior controle emocional, pois é comum trabalhar sob pressão. Além disso, é necessário possuir algumas habilidades interpessoais, tais como:

  • comunicação;
  • gestão de conflitos;
  • capacidade de motivar as pessoas;
  • criatividade;
  • foco em inovação.

Se você deseja exercer um papel de gestor, é importante se habilitar tecnicamente. Por isso, inicie a sua trajetória com um maior direcionamento na carreira em Y — ou mesmo na carreira em W. Desse modo, você terá mais opções de escolha quando as oportunidades surgirem.

As empresas também devem começar a valorizar o quadro de funcionários em toda a diversidade de perfis — tanto técnico quanto gerencial. São mudanças significativas, mas com as quais todos podem ser beneficiados.

Se gostou deste conteúdo, compartilhe o post em suas redes sociais e mostre os diversos modelos de carreira para seus amigos e colegas de trabalho.

Escreva um comentário

Share This