Atingir o grau de qualidade e acreditação em saúde é uma missão que requer muitos esforços, uma verdadeira busca pelo caminho do aprimoramento. Nesse sentido, planejar e revisar processos e suas possíveis falhas, e propor valores para melhoria de performances tornaram-se ações vitais para ganhar credibilidade e ocupar um espaço de destaque no mercado.

Pensando nisso, elaboramos um post abordando as maneiras como o procedimento é importante para o atual cenário da saúde no país, bem como 8 pontos sobre o tema que merecem atenção. Ficou curioso? Siga a leitura e confira!

Afinal, o que é a qualidade e acreditação em saúde?

O sistema avaliativo da acreditação tem o intuito de promover a otimização do uso de insumos, e, por vias reflexas, potencializa o atendimento de excelência, bem como resultados obtidos pelas instituições de saúde e hospitais.

Vale destacar que a acreditação não é um meio de fiscalização, mas visa atestar que determinada empresa apresenta um padrão de qualidade razoável. Para isso, ela:

  • mensura o desempenho das instituições de saúde em sua totalidade, não apenas em setores isolados;
  • educa os profissionais para desenvolverem uma visão ampla e crítica;
  • sabe identificar aspectos que vêm prejudicando a gestão e a qualidade nos cuidados aos pacientes.

Nesse contexto, não basta atingir esse patamar apenas uma vez, pois o preenchimento das exigências é verificado de tempos em tempos.

Quais as competências relevantes para se adquirir nessa área?

1. Obtenção da acreditação ONA

A acreditação ONA é adquirida por meio de uma avaliação que consiste em um programa de educação continuada. Ela garante aos hospitais, ambulatórios, laboratórios e demais prestadores de serviço na área da saúde um selo de qualidade e eficiência, demonstrando a responsabilidade dessa instituição com o serviço oferecido à comunidade.

Para conseguir a acreditação ONA, são verificados 7 aspectos diferentes, devendo a empresa apresentar um desempenho satisfatório em cada um deles, tais como:

  • liderança e administração;
  • serviços de apoio administrativo e infraestrutura;
  • serviço de apoio técnico e abastecimento;
  • serviço de apoio ao diagnóstico;
  • serviço de atenção ao paciente;
  • serviços de profissionais e organização da assistência;
  • ensino e pesquisa.

2. Sustentabilidade

O conceito de sustentabilidade é um diferencial competitivo para qualquer tipo de empresa no mercado. E na área da saúde ele vem sendo difundido desde a década de 80, juntamente aos valores de qualidade e acreditação em saúde.

Na prática, ela significa uma estruturação dos processos da instituição, a fim de que se explore o máximo de potencial dos recursos — seja de equipamentos ou esforços humanos — e, assim, se alcance a excelência no atendimento aos pacientes.

Enfim, tem por escopo a racionalização das práticas da atividade e, ao mesmo tempo, a oferta de um serviço da melhor qualidade possível.

3. Círculos de controle de qualidade (CCQ)

Os círculos de gestão de qualidade estão diretamente relacionados ao modelo de gestão adotado pela instituição de saúde.

Nesse sistema, o trabalho de analisar e propor mudanças para solucionar problemas de desempenho é realizado por um grupo de voluntários composto por pessoas de um mesmo setor — entre 3 e 7 funcionários — que discutirão tópicos como:

  • redução de custos;
  • padronização dos processos;
  • aumento da qualidade na prestação do serviço;
  • diminuição de falhas, entre outros.

4. Base de dados

A personalização no atendimento é uma característica que tem se mostrado fundamental para garantir melhores experiências no atendimento ao cliente, o que reflete nos resultados de uma empresa.

E, ao contrário do que muitos podem imaginar, tal realidade também é a forma mais eficaz de garantir a satisfação dos consumidores no setor da saúde — um mesmo sintoma talvez não apresente respostas tão boas para diferentes pacientes.

Portanto, o atendimento individualizado é a resposta ao alcance da qualidade e acreditação em saúde, tudo isso graças à criação de insights a partir do grande volume de informações coletadas e armazenadas nas bases de dados.

5. Capacitação dos funcionários

Educar os colaboradores, fazer com que assimilem e coloquem em prática condutas da metodologia de qualidade e acreditação em saúde é indispensável para a construção de uma imagem de referência no mercado.

No entanto, mais do que impor regras, o sistema procura identificar os pontos falhos e oportunidades de melhorias, levando em consideração a perspectiva que os profissionais têm a respeito dos procedimentos, ou seja, incentivar uma participação ativa de todos os colaboradores.

Nesse processo evolutivo, independentemente de cargos ou níveis hierarquia, a intenção é garantir motivação e maior envolvimento de todos, prepará-los para enfrentar momentos de dificuldade e garantir que as inovações adotadas sejam bem-sucedidas.

6. Medicina comportamental

A medicina comportamental é uma abordagem supermoderna que auxilia no alcance do nível de qualidade e acreditação em saúde. Essa linha de trabalho tem por objetivo analisar o paciente por meio de uma visão holística, sob os pontos de vista:

  • social;
  • emocional;
  • espiritual.

Especialmente com o elevado índice de depressão da atualidade e doenças da mente que repercutem na seara física, a qualidade e acreditação em saúde também é sinônimo do investimento dos profissionais e instituições em um atendimento multidisciplinar.

7. Telemedicina

A telemedicina é um dos segmentos que mais tem recebido investimentos nos últimos anos. Combinando recursos de telecomunicações e tecnologias da informação, seu objetivo é possibilitar que médicos e demais profissionais da saúde consigam prestar um atendimento a distância.

A atenção especial no setor pode ser justificada por alguns fatores como:

  • economia: reduzir custos é uma meta perseguida em qualquer setor da economia, inclusive na medicina, e, com esse tipo de atendimento remoto, a prestação do serviço médico de forma mais econômica pode ser atingida;
  • mudanças introduzidas pelo governo: a política governamental vem adotando medidas para apoiar a adesão à telemedicina — incentivando que as empresas de seguro participem ativamente desse processo, com a ampliação de suas coberturas a esse tipo de serviço;
  • tecnologia móvel: com o aumento e a popularidade do uso dos smartphones, eles se tornaram um ótimo veículo para difundir a telemedicina — boa parte dos usuários já estão familiarizados com aplicativos de saúde, e isso facilitará a adaptação com a telemedicina.

8. Biossimilares

Os biossimilares estão entre as tendências mais inovadoras da produção de medicamentos — utiliza-se para tanto organismos vivos como matéria-prima, a exemplo de células de bactérias.

A proposta é oferecer ao mercado medicamentos mais acessíveis que aqueles comercializados pelas grandes marcas, porém não pelo fato de se fazer uso de insumos mais baratos, mas sim devido ao diferente processo de fabricação.

Para obter sucesso no programa de qualidade e acreditação em saúde, é importante que os hospitais e demais instituições mensurem periodicamente o desempenho de cada ação empregada. Ademais, os valores de produtividade devem ser cultivados de forma que mantenha o engajamento de todos os gestores e funcionários focado não somente em colher resultados imediatos, mas sim no aperfeiçoamento contínuo.

Gostou de aprender sobre a acreditação e os benefícios que ela traz para o meio hospitalar e a sociedade como um todo? Então, para continuar desfrutando de outros conteúdos interessantes como este, assine a nossa newsletter!

 

Escreva um comentário

Share This