O conceito de monetização — uso de um meio como fonte de lucro — significa o ato de transformar alguma coisa em fonte de renda, ou seja, dinheiro. Muito comum em blogs, esse conceito é aplicado por meio da publicação de artigos que sejam voltados a um certo público, gerando, assim, muitas visualizações, e o autor pode obter um certo lucro com isso.

Para que o negócio idealizado seja sinônimo de sucesso, fidelizar os clientes é o passo mais acertado. Cada negócio vai explorar quais serão as formas de monetização mais vantajosas, para maximizar os lucros gerados em seu processo comercial.

Quer entender mais sobre novas formas de monetização? Continue a leitura e confira!

Quais são as melhores formas de monetização?

Assinaturas

O modelo de assinatura funciona quando a empresa oferece um serviço ou um produto de forma regular, cobrando, para isso, uma mensalidade de forma recorrente. É um modelo cada vez mais comum que tem como benefício o pagamento de parcelas por um período de tempo indeterminado.

Assim, a empresa pode utilizar essa forma de capitalização em seu processo comercial e consegue elaborar um bom planejamento de negócio a longo prazo.

Algumas companhias de sucesso utilizam esse sistema, como Netflix, Clubeer e HBO Go. Neste modelo, inovação é sempre necessário. Quem sabe uma padaria que ofereça uma quantidade determinada de variados pães diariamente ao cliente? Ele pagaria um valor fixo mensal e receberia, todas as manhãs, pães quentinhos e variados! Simples e fácil, sem precisar sair de casa.

Ao investir nesse modelo, é preciso ter em mente que é fundamental focar na retenção e na captura de clientes, pois, com o mercado sempre em movimento e expansão, a chegada de concorrentes é algo inevitável.

Marketplace

Esse modelo age como um intermediário entre o prestador de serviço — que, geralmente, é um profissional independente — e o usuário final — no caso, o cliente. O canal de comunicação entre essas duas pontas costuma ser feito por meio de uma plataforma on-line ou por um aplicativo, o que facilita a interação entre elas.

A rentabilidade é alcançada a cada transação finalizada na plataforma. Porém, é preciso cuidado e atenção constantes: o cliente precisa ser ouvido e seus problemas resolvidos e geridos em tempo mínimo. Uma equipe de suporte bem treinada pode ser crucial para o sucesso do empreendimento.

Algumas empresas de que adotam essa estratégia de forma brilhante são: Uber, Airbnb e iFood. No entanto, o marketplace pode ser utilizado de outra forma — e não necessariamente por meio de aplicativos para smartphones ou similares.

Imagine vários alunos de uma determinada instituição de ensino com dificuldades em física. Um empreendimento sem vinculação com o colégio pode designar professores particulares para eles — de forma que não haja vínculo empregatício, somente atendimento por demanda. Lembre-se de que essa é uma estratégia difícil de se alavancar. Entretanto, quando deslancha, as chances de ter retorno são enormes. Para isso, investir em marketing para a divulgação do negócio é essencial.

Pay-per-use

O pay-per-use é um modelo comum, em que o cliente só paga por aquilo que consumir. Isso significa, para o consumidor, maior flexibilidade — além de uma ótima forma de economia. Porém, o problema para o empresário está na possibilidade de os clientes reduzirem, cada vez mais, os gastos com o serviço ofertado.

Essa forma de monetização, que não é exatamente nova, vem se destacando em canais de televisão a cabo que transmitem eventos esportivos. Assim, há a possibilidade de comprar jogos avulsos. Ou seja, o cliente paga um valor pré-determinado — e bem abaixo da mensalidade corrente — para assistir apenas ao evento desejado.

Celulares pré-pagos também são formas de monetização pay-per-use. É recomendado que esse modelo não seja o carro-chefe de arrecadação da organização. Logo, durante a preparação do processo comercial, é preciso levantar outros meios mais rentáveis.

Planos de afiliados

Esse modelo é uma forma de gerar renda por meio da comissão de vendas para empresas terceiras. Blogs e sites que colocam links patrocinados e propagandas de produtos de outras empresas nas páginas recebem uma pequena parcela de comissão quando guia leitores ou visitantes para o anunciante. Normalmente, a comissão é paga apenas quando a compra é finalizada.

Por ser uma forma lenta e baixa de arrecadação, encher a página de propagandas pode não ser o melhor o caminho. Além de tornar a interface pesada, acaba poluindo o design do site, deixando o visual pouco agradável para o leitor. Essa prática também prejudica o ranqueamento da página nos motores de busca. O melhor a se fazer, então, é investir em parcerias com algumas lojas e divulgar o produto ou serviço em posts com o formato de dicas.

Para o sucesso do plano de afiliados, procure parceiros que tenham alguma relação com o seu negócio! Sua loja física também pode se beneficiar desse modelo! Procure fornecedores e parceiros do ramo em que atua, exponha seus produtos e lucre com uma porcentagem em cima das vendas realizadas.

Freemium

Freemiums são serviços oferecidos de forma gratuita por um determinado período de tempo — ou que precisam de pagamento para liberar outras funcionalidades, como melhorar a interface e retirar as propagandas que aparecem de tempos em tempos.

Esse modelo é uma forma de apresentar um software para os usuários, fazendo com que eles se acostumem com a interface, gostem do serviço oferecido e, a partir daí, podem desejar adquirir a versão melhorada — chamada, muitas vezes, de Premium.

Algumas empresas que utilizam desse modelo com sucesso são: Spotify, Dropbox e Hootsuite. Uma possível brecha é a criação de vários perfis diferentes pela mesma pessoa, possibilitando que ela utilize o modelo gratuito por mais tempo. É preciso ficar atento e criar meios para não correr esse risco e perder possíveis assinantes.

Soft e hard currency

Alguns aplicativos, principalmente de jogos, costumam ter uma moeda própria. Você, provavelmente, vai adquiri-las durante o uso. No entanto, para obter acessórios mais avançados, é preciso fazer um upgrade nas moedas internas. Para isso, são vendidos combos com valores em dinheiro próprio, que só podem ser usados dentro da plataforma.

Um bar temático que utiliza moeda própria pode chamar a atenção e atrair consumidores! As moedas poderão ser adquiridas na entrada do estabelecimento e não terão validade determinada para o seu uso. O que não foi consumido poderá ser usado em outro dia, ou em outro estabelecimento da rede.

O soft currency pode ser obtido pelo uso do aplicativo (ou pela quantidade consumida no estabelecimento), enquanto o hard currency é conquistado somente por meio de compra — ou seja, pela movimentação de dinheiro real.

Qual modelo escolher?

É claro que a sua empresa não precisa buscar somente um modelo para rentabilizar. Ter várias formas de monetização pode ser o diferencial na busca por crescentes lucros. Saber administrar e aplicar cada uma, portanto, é fundamental para o sucesso. Ficar atento ao fluxo de caixa pode revelar se os modelos escolhidos estão dando o retorno esperado — ou se será necessário mudar a estratégia. Visualizar, o quanto antes, que a forma escolhida não está sendo rentável ajudará a traçar um outro caminho, evitando perda de tempo e, consequentemente, de dinheiro.

Agora que você já entende um pouco mais sobre as possíveis formas de monetização que poderão ser utilizadas em seu processo comercial, que tal compartilhar este texto com seus amigos nas redes sociais?

Escreva um comentário

Share This